Arquivo

Posts Tagged ‘religião’

Existe Deus?

agosto 6, 2011 27 comentários

Recentemente tive a oportunidade de viver um sonho infantil de andar de “montanha russa” em um parque de São Paulo que ficou conhecido há algum tempo por algumas tragédias resultantes de falta de reparos na estrutura dos brinquedos.

No entanto, mesmo com toda essa má fama, o parque estava tão lotado que a fila para chegar ao “meu brinquedo querido” demoraria mais de uma hora, segundo indicava uma placa.

Com isso, tive tempo para devanear, como de costume quando me vejo em: viagem, ônibus, lavando louça, escutando música… e o tema? Existe Deus?

Fique pensando sobre meus temores e dúvidas que preenchem minha cabeça desde que eu tinha meus 5 anos e chorava quando não conseguia acreditar no que minha mãe dizia: “Você vai pro céu, meu filho, existe algo além”. Pois é, eu já duvidava disso.

Pensei, pensei e tentava não pensar, pois nunca chego a uma explicação que acalente minha desconfiança. Deus seria uma força? Uma energia presente desde os átomos? Seria uma invenção para fazer as crianças – e os adultos – não entrarem em desespero? Um enigma contra o caos na sociedade? O resultado de uma marca constituinte dos primórdios da civilização?

Enfim eu me vejo, depois da fila enorme, subindo na montanha e ainda pensando sobre isso. Quando finalmente chega a hora em que o brinquedo está a um instante de descer a toda velocidade, as seguintes palavras saem da minha boca: “Ai meu Deus do céu!!!!!!!”

A Palavra de Esperança.

fevereiro 14, 2011 1 comentário

Nutria-se a crença antigamente, de que a esperança era algo negativo, por que simplesmente podia agravar o nosso sofrimento, e aumentar a decepção. A esperança já foi entre os homens mau vista, até que um dia, algum homem, em algum lugar, resolveu propagar uma mensagem de esperança.

Mensagem essa, de teor não objetivo, de autor involuntário, e incluindo ignorante sobre o próprio intento. Resolveu um dia pensar no mundo de maneira positiva.

Pensar positivamente, mesmo os eventos negativo. Parece simples, porque naturalmente, nos acontecem coisas que classificamos para nós como boas ou como ruins. De certa forma, bom ou ruim, é um termo que precisa de referencial.

Posso abrir as janelas de manhã, após acordar, e reparar na chuva, ou reclamando ou me alegrando com ela.

Devemos procurar alegria em qualquer lugar que seja, porque ela não está fora, mas em nosso interior.

Por isso, acho realmente preciso propagar mensagens de esperança.

Mensagens, que sirvam pra alimentar sonhos, e alimentar assim alegrias, mesmo em situações mais adversas de vida, profissionais, familiares, pessoais, de saúde.

As palavras de esperança, e suas derivadas histórias, dizem que o bem vencerá o mal, que o amor reinará sobre o ódio, que a fraternidade vencerá a guerra, que o homem tomará consciencia que tem uma consciencia, e assim, haverá a realidade.

A esperança, depois foi virando utopia, foi so tornando doutrina, tomando formas de arte. A arte, nutre as esperanças, em todas suas formas. A literatura é toda esperança e certeza de morte.

Não há outro consolo ao desespero, senão uma palavra de esperança.

Estamos no meio de um vendavál em oceano, sabemos que cientificamente as chances de sairmos vivos é minimas, estamos eu e outros irmãos, crianças e mulheres.

Devemos fazer o que ? Afirmar que empiriacamente a chance de termos uma morte dolorosa e lenta, possivelmente de fome ou de frio, ou devorados por algum animal…

Não, o natural é que todos tenham a mais absoluta certeza, de que tudo dará certo, mesmo que todos morram, que não dê certo, é preciso acreditar até o ultimo instante.

Como no caso do condenado a guilhotina. Ele até o último instante tem esperança na vida.

É preciso esperança, e junto com a esperança é preciso esperar.

E é preciso aprender a esperar, coisa que pouco sabemos. Esperamos muito dos outros mas esperamos pouco de nós mesmos.

Costumamos sempre que erramos culparmos alguem pelo erro. Nunca entendemos que o erro de alguem é um erro de todos envolvidos. Ninguém erra sozinho. Um criminoso não é o único com responsabilidade em um crime. Sempre que analizarmos o fato de uma ótica mais profunda, verificaremos a longa teia social que irá se tecer diante do fato.

É preciso esperar, que os projetos continuem, que se desenvolva a economia do pais, que baixem os juros e os impostos, que aumente o salario, que  o brasil seja o pais do futuro.

É preciso ter a esperança que o pré-sal vai nos tornar uma Nova Roma, e não um novo golfo do méxico. Não gostaria de ver o óleo invadindo a praia de botafogo.

Precisamos ter esperança, que a consciencia humana é algo especial, e não apenas um instinto comum de sobrevivencia. Que a alma humana é naturalmente boa, e que o homem eh capaz do arrependimento e da mudança.

É preciso ter esperança nas coisas impossíveis, é preciso que tenhamos ideais, e utopias, mas ao mesmo tempo que não deles nos embriaguemos.

É preciso esperança, e é preciso esperar, mas sobretudo, é preciso não confundir esperança com delusão.

Delusão é quando nutrimos uma ilusão sobre determinada realidade, sendo que ao certo, segundo critérios de onde se estabelece os limites de tais verdades, essa ilusão não consta.

A esperança é não uma obrigatoriedade, mas um convite. Não é algo objetivo e cientifico, e confesso, na mairia dos casos quem tem esperança acaba morrendo.

Se perdermos a esperança no homem, na criança, perdemos tudo.

É preciso mais respeito e civilidade. É preciso que crentes fanáticos, estudantes boemios, fans de michael jackson, fakes de toda ordem, é preciso que tenhamos um lugar para discutirmos sobre nada.

Eu tenho muita esperança e aconselho a todos  que tenham.

Cansei de escrever. Vou jogar Gta.

Adeus.

Sobre a inutilidade. (teclado fodido)

Umberto Eco alertou-me em um de seus textos de que a literatura eh por si soh a arte de escrever textos sem finalidade pratica, uma utilidade especifica, mas sim algo que se escreve, segundo ele, por deleite, elevacao espiritual, ou mesmo por divertimento. Diferente de um horario de trens ou de uma placa de sinalizacao, que possuem por si um especifico sentido de utilidade.

As outras formas de arte penso de uma profunda inutilidade. Arquitetura pra qualquer engenheiro eh frescura.

Musica, nao consigo definir uma utilidade especifica para ela, embora ela possa ser usada em muitas situacoes sociais, mas nao eh por isso que ela eh feita, ela nao tem um motivo especifico de existir. Acham uma utilidade depois que a coisa existe, mas a inutilidade original eh completa.

Mesmo os desenhos, artes visuais, por si soh, quando nao com finalidades naturalistas, e mesmo assim depois da invencao da foto, tornou-se uma completa inutilidade.

A religiao nos tempos de metodo cientifico nao tem mais utilidade senao pra o mundo nao virar uma suruba mais do que esta.

O espiritismo, me parece algo realmente inutil. Porque mesmo se for fato todas as crendices em torno do assunto, mesmo assim, se fossem eventos de ordem natural observaveis pela luz do metodo cientifico, mesmo assim, seria uma ciencia inutil e naufragada.

Seria mais facil escrever poesia nas normas da abnt do que um espiritismo cientifico.

Esse teclado sem acento eh uma bosta. Eu odeio escrever errado. Parece que nao sou eu que escrevo, mas que estou recebendo uma entidade, nao cientifica eh claro.

Ciencia de cu eh rola. Cientista tem de entender que ele eh util, diferente da inutilidade que apaixona os homens.

A arte, a poesia e o misticismo, nao podem ceder ao rigor do metodo academico, que nao permite lagrimas ou mesmo emocoes.

Antes de realizar um experimento espirita eh necessario orar, enquanto que o metodo cientifico normal eh contra oracao.

Nem por isso, os inuteis deixam de ter seu valor. A poesia tem o seu espaco na vida.

Eu nao posso mudar o que passou, mas posso planejar o que passara.

Jesus, eh um nome muito bonito.

Por toda inutilidade que reina no cosmos. Poeiras do alem, materialismo seculares, transcedentalismos utopicos, socialismos de botecos, eu vos envoco…. ocupai as mentes dos estudantes, preenchei os folhetins dos doutrinados, arrolarei seus versos pelas marchas populares, deixe o povo cantar nossa ideologia, nossa crenca, nossa rebeldia ao metodo util.

Queremos nao crer no possivel, queremos exatamente  eh saber que no impossivel estamos crendo, porque assim, reconhecemos-nos impossiveis; Quem sabe, impossibilitados.

A inutilidade eh como olhar pras nuvens e procurar reconhecer nelas formas de seus adornos, a subjetividade impera nos criterios aleatorios de cada visao.

O ateismo por si soh, ao meu ver, eh a coisa mais inutil do mundo.

Porque alguem pode crer em nao crer ? Definitivamente o melhor seria ignorar as crencas alheias e entender que nao ha sentido em degladiar-se com elas, tampouco julgar os que dela partilham. Por outro lado, eh importante que se lembre sempre, que… que… esqueci….

A utilidade eh a ciencia, que tem metodo cientifico. O capitalismo, e seu sistema financeiro, muito util.Os servicos publicos, embora maus prestados, muito uteis.Mas o resto nao.

O que nao da lucro eh inutil. O lucro eh sinonimo de utilidade. Quando se diz que fulano eh um inutil, eh que ele nao consegue dar lucro.

Lucro em qualquer especie ou rotulo.

Por onde andara o meu amigo gafanhoto ? de tantas guerras inuteis.

Em busca da prova sem metodo.

Eu vos brindo a inutilidade, meus caros comparsas.

 

 

Em defesa da Honra, da Moral e dos Bons costumes da Família Brasileira.

novembro 23, 2010 2 comentários

Ditado por Hernéstimo Próvio, Do lado direito de Nossa Senhora das Canduras;

“As favas os modernos, e as odes aos contemporâneos. Que jorrem sólidas as jactâncias, que soletrem pútrefes os analfabetismos crônicos. Que não me entendam os desentendidos. O que importa que vim.

Vim do além com a missão, de vir e voltar, de maneira rápida mas significante.

Não existiria sentido em alcançar confirmação de tamanha sabedoria explícita, se não pudesse regozijar-me ao ponto máximo de atingir o extase de professar tal boa nova.

Eis, que volto dos aléns, transmitindo em saltos quanticos minha telepatia mais celestrial do mundo. Vim defender os verdadeiros valores, da moral e da Familia Brasileira.

Primeiro item; A balburdia dos sacramentos.

A modernidade, parece que se esqueceu, ou resolveu impor que somos mesmo um país de selvagens sem religião. Isso aqui é um país de DIREITA. Um país católico. Os jesúitas é que fundaram essa patria, e livraram o povo indio do sofrimento de uma vida no abandono do mato.

Levaram Cristo aos povos do além-mar, e formaram uma familia cristã, baseada numa rígida moralidade de obediência aos sacramentos da Igreja Santa.

Longe dos tumultos políticos e militares da Europa, quando surgiam estas novas ceitas protestantes que hoje se proliferam como o mosquito da Dengue em nossa sociedade. A reforma protestante, ficou longe da Familia Brasileira.

1missaw 

Eis que quando ela surgiu, a principio, foi mui moral e digna.

Há de se reparar, que logo no periodo do descobrimento, a sacanagem em si era pouca, pois os homens de bordo eram muito castos, todos com suas amadas em portugal, muito fedidos igualmente, e mal cuidados depois de meses de travessia, e não faziam questão de dormir com as selvagens… eis que voltaram a Portugal, e ficou um homem por cá.

Este ai que se viciou na lascividade, e promiscuiu toda uma nação, e degenerou o bom sentimento que surgiu aqui no momento de aliança da inocencia do selvagem com a benevolencia do cristão colonizador pacifico.

O escravo nesse primeiro contato não era de tal modo como indio. O escravo na europa, em Roma ou na Grécia da Antiguidade Clássica, escravizavam o povo inimigo e o seu exército. O mesmo se deu posteriormente. Os negros, todos escravizados, mas a Igreja sempre contraria a isso.

Não havia controle da igreja sobre o caos que era a África dominada por Piratas de todas nacionalidades daquele século, mas sobre o Novo Mundo sim, e por isso somos um país de moral cristã.

Todo brasileiro é Cristão. cristo-redentor-rio-de-janeiro

E quem fez questão de difamar a igreja na nossa sociedade?

Os professores de história e geografia do ensino médio, e os professores das universidades federais da área de humanas.

Impregnam com uma cartilha socialista com suas demagogias sociais uma instituição puríssima que sempre louvou por um país baseado na decência dos costumes.

Primeiro sacramento balburdiado é o matrimonio. Foi praticamente extinto nessa sociedade moderna em que vivem.

O que chamam matrimonio, se tornou no vulgar, casamento, que mais parece uma sociedade de divisão de contas e de filhos, e não o que prega a  moral ensinada pela santa igreja.

Os valores de uma sociedade construida as margens do liberalismo economico, pode atraves dessa busca desmedida pelo lucro acima do bem, ser uma arma, uma forma de malignas influencias virem querer desestruturar nossa moral.

O crime, a droga, a prostituição e o comunismo, são os piores exemplos.

E foi na igreja que esses comunistas conseguiram afinal o aval para serem o que são. Foi a igreja que intercedeu por eles, quando resolveram os prender primeiro. Afinal, eles diziam, vamos roubar tua propriedade, e ai prenderam , porque afinal roubar é crime.

E a moral da familia se perdeu porque ficou um do navio dos primeiros portugueses, e esse um que ficou se aproveitou do antigo costume da hospitalidade tupinambá… ele acabou por fazer mais de 2 500 mamaluquinhos de filhos, e quando a portugada voltou, ja tinha um pais só de netinho do camarada.

O nome dele é João.

Ele não era padre, mas o chamavam de Padre João. Ou melhor, PRESTE JOÃO.

O Bispo Otto, do Impérador Frederico Barba Ruiva,o chamou de Presbyter Johanes.

E cá ao Brasil ele veio cumprir sua profecia santa, no entanto; DESVIOU-SE.

Perdeu a virgindade com um boto, e já no fim de sua vida, morando na Paraíba, comeu o Bispo Sardinha sem saber de que se trata-va de um importante evento da antropofagia mundial.

Foi assim o declínio da moral. Foi comendo o Bispo Sardinha e no meio de rituais como a antropofagia, mas a principio havia familia e ela foi retomada logo no periodo canibal3

Oh Luis Henrique, vc tem de ler esse blog porra, é em defesa dos  valores burgueses intelectuais trancendentais.

A familia brasileira, quando os país escolhiam o matrimônio viveu o seu auge de moralismo e boa conduta. Foi quando Brasil teve um Grande Império, e foi um país exemplo para o mundo.

Atualmente ainda somos o país mais católico do mundo, graças a Deus. Mas ao mesmo tempo a chaga da incredulidade tem se espalhado por nossos costumes. O que é uma ameaça voraz.

Então convoco tu oh homem de gentil fé. Levanta-te, e não deixe um professor comunista adotar o seu filho !

O jovem impelido pelos ardores dos homonios e do fogo dos trópicos acaba não escolhendo bem qual o matrimonio mais próprio pra  uma conduta de vida divina.

Por isso os pais tinham junto aos filhos a tarefa de escolher os parceiros de matrimônio, já que isso era um compromisso que ia de encontro a toda a familia brasileira.

Mas ai, a indecencia, e a promiscuidade contaminou essas terras, e o assanhamento reinou por conta dos homens de do mundo. Leia o Grande Sertão:Veredas, mas eu estrago logo o livro e conto o final, DIADORIN na verdade é uma MULHER.

Pois sim, a literatura brasileira, que hoje vive o seu auge, e eu noto que muitos, inclusive nesse blog, vem insinuando ma´lévolas contra essa prosperidade.

Vejamos de que se constitui nossa literatura, de Machado, um homem metafísico por si só, conhecido como Bruxo; Investigador da alma humana, e profundo teólogo.

Tivemos Vinicius como outro exemplo, educado no colégio Santo Inácio, que escrevia poemas ainda jovem com muito afinco. Sempre metafisico, acreditando na esperança, mesmo que em vida fossem ambos materialistas, em sua arte explandecia transcendencia…

paulo-coelho-participa-do-bate-papo-uol-1279824355562_615x300

E agora, o tão criticado, Paulo Coelho, que é místico bruxo e teólogo. Basicamente a crítica central ao seu texto é de que ele escreve mal e que tem erros de português, no mais, são de digitação e alguns pequenos descuidos. Nada grave que comprometa a estrutura semantica do texto, nem a integridade da mensagem.

Ele sim é um grande Gênio que defende a moral e os valores cristãos da literatura brasileira, e tem levado nossa literatura a onde nunca ela chegou. É o autor brasileiro mais lido de todos os tempos, e o mais lido em todos os paises do mundo, sua bibliografia é uma das mais vastas em romances, contos, cronicas, diários, teses e estudos pessoais…

É um homem discreto. Participou ativamente do maior fenomeno do ROCK BRASILEIRO.

Vendeu a alma pro diabo ? Sim, vendeu, mas depois se converteu, e jesus perdoa. Hoje em dia ele ajoelha e beija o anel do papa.

Oras, que ensinemos nossa juventude a ler o Paulo Coelho, que leiam Veronica decide morrer, ao invez de ficarem dançando o créu.

Que leiam o alguimista, pra que não busquem a felicidade tão distantemente, sabendo queela pode estar proxima. Sim, leia o Diario do Mago e aprenda o exercício da semente, e tente fazer ai na sua casa, que é muito divertido.

Mas isso tudo de bruxaria, é tudo pra enganar o trouxa, o da fé frouxa.

O homem verdadeiro lê essa brilhante literatura e diz, há, ELE ESTÁ ZOMBANDO DE TODOS.

Mas não, ele está ensinando o verdadeiro caminho da humildade e da simplicidade, e depois do nosso tempo sempre será lembrado pelos seus inevitaveis feitos.

Incluindo, viu o disco voador. Fenomeno do qual a Ufologia Brasileira se vangloria internacionalmente pelos créditos ilimitados.

Sim, mas agora não tem volta mais… quem vai meter na cabeça dessa juventude que só pensa em “ficar” o conceito de que somos o maior país católico do mundo. Po, essa juventude tem de pagar mais promessas e comer menos gordura.

Deveriamos obedecer novamente, pelo menos com mais rigor o calendário católico, e proibir o católico não praticante. Obrigar o católico a praticar sua fé, nem que seja através do futebol.

Paulo Coelho sim é um intelectual literato bruxo metafisicamente genial. Quando ele escreveu Monte Cinco, livro que a maioria dos infelizes invejosos que o criticam mal sabem do que se trata, ele passou 40 dias em jejum, só a pão e água pra conceber a missão. E ele conseguiu inclusive falar com Elias. Sim, Elias o profeta.

O livro é simplesmente a saga do profeta romanceado, na qual ele vence as batalhas impossiveis de cerem vencidas, na qual ele consegue sustentar cercos dificilimos. A narração histórica é de uma grande valia, e a preciosidade das cenas de um combate só podem ser de um grande literato, mas o mundo não lê e critica sem ler, e sem entender o mínimo de cultura universal, e por isso, esse Genio que é adorado no mundo inteiro por todos, só não é respeitado aqui em nosso país, e digo com facilidade o motivo.

Ele não é um homem de esquerda, e não é ateu.

Existe uma modinha, uma tendencia a ser ou ateu ou de esquerda, e quem não for que morra. Fuzilado, preconceituado, ou de qualquer forma. E se comer carne deve morrer junto.

O correto, para um certo tipo de doente social doutrinado ai pelas vias do descuido com a fé católica, é aquele que é vegetariano comunista e ateu. Em um tempo remoto, isso tudo já deu cadeia.

O que querem estes incrédulos ? Transformar essa nação num prostíbulo ? Querem envenenar nossas meninas, afeminar nossos rapazes ? Querem nos convencer ao incesto ? A  imoralidade da  corrupção ?

Não, não aceitamos os padres pedófilos, e os lideres sem terra. Não queremos padre em passeata nem feminista sem calcinha.

Tem o homem de honra o direito de indignar-se.

E que fiquem com Deus, na paz de Cristo.”

Amén…

A vida é uma prostituta…

outubro 6, 2010 2 comentários

…Você tem que foder ela o máximo que pode, porque a doce meretriz vai te passar gonorreia e no final, você morre.

Essa é uma frase dita por Shane Macgowan, vocalista do The Pogues, banda de folk irlandesa. Não que a frase seja exatamente como eu escrevi, ou que o texto tenha muito a ver com ela.

O fato é o seguinte, ultimamente eu vejo muitas pessoas (olá, vegetarianos) falando de morte como se fosse uma abominação fora da realidade, algo incomum e que não deveria acontecer. Algo que deveria ser presenciado apenas por pessoas com algum tipo de espírito superior ou qualquer calhordice dessas. Como se a morte fosse o próprio demônio encarnado no sorriso de sociopatas.

Eu realmente não consigo entender o que é tão bizarro em simplesmente admitir que as coisas morrem. Tudo morre, se é para viver, terá que morrer. Não existe vida sem morte, nem o contrário. Por isso a simples ideia de um deus vivo além do tempo e do que conhecemos como realidade soa tão absurda, ele não poderia ser se não viesse a morrer.
E claro, falando dessa forma, parece que sou um odiar da vida e um sociopata sem solução, que você já deve estar proferindo palavras sobre o quão a favor é da pena de morte no brasil para casos de defensores do aborto.

A questão, de fato, nem é essa.

Nossa sociedade idolatra a morte sem ao menos se dar conta disso: A religião nada mais é do que um culto a morte.
Você passa anos da sua vida se preparando, não pode beber em excesso, fumar em excesso, foder em excesso? Passagem garantida para o reino inferior. Só se vive uma vez e você não deve fazer nada do que tem vontade. Sem mentir, sem ser materialista, sem olhar para aquela sua vizinha gostosa. Nada, deve ser casto como o próprio Buda por mais que sua religião seja ocidental.
Até chegar o momento que você deve se perguntar: Para que tudo isso?
Obviamente, porque você vai morrer, e quando morrer, não vai querer ir para o inferno. A vida é só uma e você não pode se divertir aqui, você tem que escolher entre a falta de diversão e a paz no final da vida ou a tortura.
Para a religião, tudo que você faz na sua vida é apenas um vestibular pra quando você for morrer, depois que começa a vida de verdade ao lado do senhor deus todo poderoso.
Digam-me: Se isso não é um culto a morte, o que mais poderia ser? Um culto ao tédio onde tudo que deseja é tirar a graça da vida e cuspir na sua cara?

Claro, isso é só a preparação, tem-se que idolatrar a próxima vida mas mão ser a favor do aborto ou a pena de morte, isso são coisas condenáveis. A menos que sejam pessoas reprováveis pela religião.
Tem-se que cultuar a vida após a morte e não aproveitar a sua vida terrena.

Mas vaquinhas! Ó as pobre vaquinhas!

Viver coincide em morte de uma forma ou de outra. Sua pele morre todo o dia. Sua comida é morta de uma maneira ou de outra. Caminhar, lavar roupa, acordar, espirrar, cuspir, peidar, qualquer coisa que você faça acarretará na morte de algum organismo.
Algumas espécies de borboletas não vivem mais que 24 horas. Pessoas morrem todos os dias das mais variadas formas, violentas ou não. Tudo morre, e você cultua a sua própria morte.

Ai me vem um filha da puta e diz para eu ser contra experiência com células embrionárias porque estamos matando futuros pagadores de dizimo. O que mais falta? Decorar seus caixões como sarcófagos egípcios?

Entenda caro calhorda, enquanto você estiver vivo, uma caralhada de coisas vai morrer, inclusive seus pais, amigos, sogras e ex-namoradas.
E você vem me encher o saco por comer um baby beef no almoço?

Acho que alguns coisas estão sendo má interpretadas.
E como diria Lovecraft ‘That is not dead which can eternal lie. And with strange aeons even death may die’

Textos referentes:
A utópica morte da Morte

Aos crentes de A à Z

agosto 3, 2010 1 comentário

Há um longo tempo atrás, em um reino não tão distante, eu e o Rodrigo criamos um A até Z de coisas que religiosos não deveriam falar em um debate. Como isso ficou perdido em comunidades orkutisticas onde trollavamos com fervor os crentes, e hoje em dia parece que ambos não temos mais tempo nem paciência para tanto, resolvi compartilhar aqui esse apanhado tão valioso onde ficará eternamente (?) guardado.

”A- Rebaixando o conhecimento cientifico alegando que ele seja incapaz de responder algo tão simples.
B- Alegando que A ciência é falha porque ela muda suas verdades.
C- Com alguma pseudo ciência, de física quântica, de astrologia das cores, de espiritismo cientifico, essas doutrinas que fazem questão de se dizerem cientificas e vendem muito entre os trouxas do mundo.
D- Com falácias.
E- desqualificando a teoria da evolução. (sem ter provas, apenas no ”acho que” , sem ter estudado ela direito)
F- Dizendo que Einstein acreditava em Deus. Ou qualquer outro sujeito, mesmo se acreditasse ou não.
G,- Argumento Cíclico.
H- Argumento da ignorância – já que não está provado que deus não existe ele existe.
I- Inversão do ônus da prova. Como se os ateus tivessem responsabilidade de provar a negativa independente da sustentação afirmativa ser falha.
J- Dizer que nada pode ter surgido do nada.
L- Dizer que existe porque sente que existe.
M- achar alguma relação entre um ditador e a ciência pra tentar desqualificar ela (por exemplo, dizer que Hitler concordava com o evolucionismo)
N- Usar como argumento verdadeiro o que algum filosofo disse antes da ciência ser consolidada como verdadeiro (coisa do Santo Agostinho)
O – Argumentos pessoais (mais comum, sempre usam)
P- Supor que você é deus pra dizer que deus não existe.
Q- -Dizer que a bíblia é mais verdadeira que a ciência.
R – Alegar que Platão é cristão. (DG)
S – Alegar que a ciência é menos sólida que qualquer outro conhecimento pela sua idade; “a ciência está bebê”(WENDY AELSON)
T -Alegar a aposta de pascal.
U -Alegar que o pensamento cientifico tem o valor de uma opinião
V – Dizer que isso é questão de fé apenas e que não temos como chegar a uma conclusão.
X -Dizer que isso é um assunto pessoal, e não algo objetivo tratado
Z – Alegar que existe fundamento Científico pra tal crendice. ”

Eu ainda tenho que ver com o Rodrigo se rola um A até Z versão 2.0. Porque o que eu escuto por ai, da pra fazer essa lista inteira de novo. Mas pegamos os mais importantes/comuns.
Divirtam-se.

Doutrinados em Utopias fáceis.

Hoje resolvi analisar um mal do qual já fui imerso. Falo especificamente dos delírios utópicos. Eu penso, como pode alguém ser levado a crer que uma determinada solução simples, para um problema de ordem complexa pode ser possível. Pois essas que são as doutrinas de utopias fáceis. Elas são como um projeto pra livrar alguma ameaça a alguma coisa muito importante. Por exemplo, alguma coisa pode ser o planeta terra, o problema o crescimento da poluição que é um problema bem complexo, e qualquer solução simples como, por exemplo, um sistema socialista internacional, que é uma solução muito simples de ser tomada.

É como analisamos o problema do Biodiesel que é uma solução complexa pra um problema complexo. Porque é uma solução complexa? Porque é derivada de muitos anos de pesquisa em uma nova tecnologia energética. E é também um problema de ordem complexa… A decência total da economia de um produto único. Analisando por esse prisma, o problema do Biodiesel é argumentado como que ele geraria mais fome no mundo, pois seria mais lucrativo plantar pra vender combustível do que comida, o que faria que o preço da comida subisse, gerando assim uma crise mundial de alimentação.

Argumento pífio, como todos os argumentos de doutrinas utópicas fáceis são. Não é de se espantar pensando que esse argumento que partiu do governo americano, sobretudo da ala republicana. Pois é, parece óbvio que isso aconteceria, e que o biodiesel e qualquer outra tecnologia que tire um recurso mineral de um recurso animal poderia ser argumentada por esse ponto de vista. O que o argumento ignora, é que o óleo pode ser retirado sem que a produção de alimentos seja afetada, o que abriria mais espaço pra lucro, e não dividiria um mercado. Na verdade uma planta pode dar o óleo e o fruto, e ambos podem ser ofertados para o consumo.

O único tipo de trabalho que existe é o comércio. Qualquer trabalho é uma atividade comercial, legal ou não. Não é a toa que muitos desocupados gostam de criticar o comércio. Culpar o comércio ou o funcionamento, ou o dinheiro que é a maneira muito organizada que a humanidade intuiu coletivamente de avaliar suas transações.
É muito fácil cair em conversa fiada. Eu posso vender milhares de mentiras, que solucionam problemas complexos. Por exemplo, vou criar uma solução que sei que é utópica mas que é muito simples. Eu sei como acabar com a guerra entre Israel e os Árabes.

Acabaria com essa guerra, convertendo pessoas ao cristianismo universal, que é um cristianismo ecumênico que aceita todas as religiões, e aceita também ateus e agnósticos, é uma igreja baseada no humanismo, no direito dos animais, no socialismo igualitário e na liberdade de expressão. No começo, vamos converter nosso bairro, passar panfletos, fazer reuniões, festas, sites, eventos… Vamos divulgar nossa boa nova.

Se você acredita ou não, se é religioso ou não, aqui você é um irmão. Não precisa dar dinheiro pra sociedade, vamos convertendo, é só um bom pensamento. Não precisamos de templo, de funcionários, só precisamos de trabalho voluntário, a religião que proponho não tem custos.

Iremos mandar muitos spams, converter celebridades, e demais ações de publicidade. A tal ponto de um dia crer que os judeus e os muçulmanos acabaram em maioria aceitando essa doutrina, e resolvendo acabar de vez com suas divergências bélicas.
Assim, acabaremos com a milenar guerra… é só o amor tocar o coração dos homens quando escutarem a mensagem do amor.
Muito simples solução pra algo tão complexo.

Alguém compra essa idéia? Pode comprar ou não, de qualquer forma, de lixo assim, podemos ser vítimas a qualquer momento. O mundo é feito de problemas demasiados complexos, e crer que existem atalhos para a dor é uma ilusão.

Devemos pelo contrário estar certos de que a realidade que partilhamos e dela temos consciência, não depende nem um pouco, ou sequer consulto, nossas vontades. O universo não houve nossas queixas, não lê o nosso pensamento, ele não tem personalidade, nem humor, ele é como é.

Então eu vejo gente com muito ódio mesmo, muito raiva, defendendo algo que pra ele é a idéia mais brilhante do universo, que ele foi doutrinado para tal. O sujeito xinga quem discordar dessas idéias. E geralmente elas vem com uma espécie de almanaque de argumentos cíclicos pra prolongar essas idéias.

Estão entre essas idéias coisas como; O socialismo, o vegetarianismo, os discursos religiosos, os discursos religiosos que se dizem não religiosos, os misticismos, discurso astrológico, discurso sobre arte ideal, sobre futebol e a escalação da seleção.

Por que elas são infundadas? Como já disse; Porque são simplistas, e o simplismo jamais vai explicar a complexidade.

Problemas simples, são problemas que simplesmente um fator corresponde à ele, por que a grama ta molhada ? Porque chove.
Então se parar de chover a grama não estará mais molhada.
Agora, se perguntarem por que o Dunga escalou aquela seleção, a resposta pode ser simples e agradar mais gente;

– Porque ele é uma besta teimosa.

Por outro lado, eu diria que isso é um problema demasiado complexo pra lidarmos assim com a situação. Ele está avaliando cada jogador, não só dentro de campo e em suas atuações pelos clubes e pela seleção, mas também pelo comportamento fora de campo, pela forma física; Acrescente aí, a opinião dos próximos a ele, como o caso do Jorginho. Acrescente interesses econômicos diversos, interesses políticos do Ricardo Teixeira, interesses diversos de qualquer outra origem.

No fim das contas, o Dunga escalou essa seleção por um problema complexo, e não foi uma solução simples a dele, foi igualmente complexo.

Mas o foda é que achem que eu espero que um dia o povo não aja mais assim. O que não é verdade, eu sei que sempre as opiniões serem baseadas nisso. Assim funciona a massa, dês de sempre, e assim, ela continuará funcionando, sobretudo agora em períodos de massificação.