Homus Economicus

Se você é uma pessoa que gosta de curtir a vida e sair com os amigos de vez em quando, como eu, pode se assustar com essa conta que pensei outro dia e que tem até me ajudado a parar de fumar. 
A última coisa que quero aqui é entrar em méritos morais sobre como cada pessoa leva sua vida. O que pretendo mesmo é pensar financeiramente, pois pode ser útil. Também não sou nenhum matemático, então pensei em uma conta relativamente baixa e simples:

– Todo mundo merece sair ao menos uma vez na semana e ir a algum lugar – esses geralmente cobram entrada. Nesse lugar, você ainda bebe. Então, pensemos que se você sair apenas uma vez na semana, pagar 10 reais para entrar e consumir umas 4 a 5 cervejas, você gasta em média RS 40,00 (conheço gente que gasta R$ 100,00 por noite e mais de uma vez na semana);

-Se você é um cara que fuma, como eu, pensemos numa carteira de 4 reais por dia (visto que você pode fumar menos, mas pode escolher uma carteira mais cara, ou então, no fim de semana, um monte de amigos fumam do seu cigarro).

Só isso! Quero me ater somente nessas três coisas: entrada de festa (10 reais é barato hein), cigarro (cigarro mais ou menos) e cerveja (sem incluir outras bebidas).

Por mês, você irá gastar R$ 120,00 em cigarro e R$ 160,00 em cerveja e entradas. Somando dá: R$ 280,00. Barato? Acho que não.

Multiplicando por 12 meses a conta sobe para R$ 3.160,00 por ano. Em 5 anos, você pode comprar um carro (R$ 15.800,00)! Melhor do que isso, se esse dinheiro for investido em bolsa de valores, pode aumentar exponencialmente.

Pensemos assim: ninguém vai ficar 5 anos sem dar umas saídas, mas quando não o fizer poderia se recompensar se dando essa grana não gasta, não é?

Isso tudo pode significar um grande prazer, condordo, mas estive pensando seriamente em testar essa economia. Enfim, a questão aqui é só compartilhar o óbvio que a gente não vê. No final das contas, isso é o que Bourdieu chama de poder simbólico: uma reprodução sem conhecimento, ou nas suas próprias palavras, “restituir à doxa seu caráter paradoxal”.

Anúncios
  1. Jonny
    março 23, 2011 às 14:18

    As pessoas sofreriam muito menos se desde cedo aprendessem a economizar, valorizar e lidar com o dinheiro. Vale lembrar que até mesmo os que são menos favorecidos financeiramente também sonham, negociam, investem, lucram e perdem.

    Ajudar cada um a reconhecer suas singularidades e sonhos é o primeiro passo para multiplicar tanto o amor quanto o dinheiro. Eu observo que aqui no Brasil as crianças são postas no mundo e não são preparadas para se tornarem independentes financeiramente mais cedo. É triste e ao mesmo tempo vergonhoso testemunhar crianças sendo educadas para serem sinhazinhas e sinhozinhos com direito de exigir das pessoas o que bem entender como se ainda estivéssemos no século XIX.

    Para que as nossas vontades sejam realizadas, é preciso, portanto, que haja constantes negociações sobre valores e sonhos, seja no trabalho, na vida afetiva ou familiar. Eu cresci ouvindo sobre lado positivo do dinheiro no cosmo, e quando planejamos reservando 15% do nosso salário para investir em diversão, uma vez que o dinheiro está relacionado com saber usar os princípios do prazer e viver em sociedade, a vida flui com mais tranquilidade.

    Eu gasto dinheiro de forma racional. Eu penso muito antes de comprar qualquer coisa. Só vou ao estabelecimento fechar uma compra, que pode ser um vestido, um par de sapatos e uma bolsa, por exemplo, somente quando eu tenho a certeza da qualidade do produto e que vale a pena pagar pelo o que eu vou levar para casa. Nada nem míngüem vai conseguir me induzir a comprar algo que não preciso para viver e em nada me acrescentará. Eu penso sempre sobre o valor das coisas e sobre aspectos relacionados também ao uso do meu tempo e às prioridades de minha vida.

    “Compartilhar conhecimento é uma obrigação se você não perde com isto e o outro ganha.”

    Sugestão de leitura, caso ainda não conheça, para os dias ou para as noites que você decidir não dar um rolê: A Cabala do Dinheiro – Nilton Bonder.

    A palavra Cabala ou Kabbalah é de origem judaica e significa “receber conhecimento.” O livro usa os termos de Economia e de como podemos viver melhor.

    “Este é o segundo volume de uma trilogia baseada num dito (e jogo de palavras) da tradição rabínica, que afirma – “Uma pessoa se faz conhecida através de seu copo, bolso e ódio (Kossó, Kissó ve-Kaassó).

    A obra dá enfoque ao “bolso” (Kissó) e suas intrincadas formas de expressar o que somos. O autor apresenta uma visão ecológica que não se baseia na natureza, mas no mercado. Expõe, assim, a conflitante luta humana pela preservação da natureza, quando todo o esforço cultural e civilizatório se faz contra a natureza e a favor do mercado.

    Enquanto o primeiro volume A Dieta do Rabino – A Cabala da Comida dizia respeito ao “copo” e abordava as questões de troca de substância e alimentos com o mundo, A Cabala do Dinheiro explora os limites do bolso e as interferências do mundo emocional e espiritual no conceito de riqueza.

    Tomando a estrutura de interação dos quatro diferentes mundos da tradição cabalística, Nilton Bonder faz uma releitura do conceito de Mercado e esboça uma ecologia econômica para os seres vivos, na qual a riqueza material e apenas uma fração de uma contabilidade bastante mais complexa. Um livro para aqueles envolvidos com economia, a ecologia, o comportamento, a religião e o misticismo”.

    Vale a pena ler. E para economizar alguns trocados… É só baixar o livro no site abaixo:

    http://www.4shared.com/get/TrxZLxy0/Nilton_Bonder_-_A_Cabala_do_Di.html

    http://www.niltonbonder.com/port/livros/livros.htm

  2. Jonny
    março 23, 2011 às 14:26

    Em tempo, correção ortográfica:

    Míngüem (?)

    Digo, ninguém.

  3. rodrigonunesouza
    março 24, 2011 às 15:37

    O jonnhy, eu sou o editor dessa bagaça e to precisando dum assistente… bota o curriculum ae, vc ia ser o primeiro Membro FAKE do blog, lógico com a autorização dos outros comparsas e do senhor NM.

  4. ñflbnit
    março 24, 2011 às 18:10

    FAKE

    :
    perdeu a oportunidade de se manter calado.

  5. rodrigonunesouza
    março 25, 2011 às 02:19

    Ganhou a oportunidade de eu lhe mandar vc tomar no meio do seu cu.

    Crianças, aprendam com o tio Rodrigo como se lida com Canalhas, Fakes, sem caráter.

  6. Jonny
    março 25, 2011 às 14:55

    Ñflbnit,

    “¿Por qué no te callas?”

    “Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo”.

    Ñflbnit,

    Há coisas que melhor se dizem calando. Só com muita sabedoria, estudando muito, pensando muito, procurando compreender tudo e todos, é que um ser humano consegue aprender a ficar calado.

    Ñflbnit,

    O mundo virtual é tão presente em nossas vidas que nos permite ver de maneira especial a atitude irrefletida que você adotou. A sua incapacidade de ficar calado revela suas inquietações e impulsividade. Você chegou àquele ponto em que seria melhor “morrer” logo, ao invés de continuar falando bobagem.

    Ñflbnit,

    Ficou explícito que você ainda não aprendeu a difícil arte de pensar antes de agir, portanto quem “perdeu a oportunidade de se manter calado” foi você quando resolveu provocar o Editor/ Autor deste Blog.

    Ñflbnit,

    O mundo funciona totalmente diferente da forma que nos é ensinado. Em toda essência humana nós sabemos o que há de pior e melhor, consequentemente tudo para nós é dilema, tudo é decisão, afinal somos livres.

    Nós podemos decidir tudo livremente. Nós podemos questionar, nós podemos criticar, não temos a obrigação de fazermos sempre o melhor, etc., portanto quando você compreender melhor o mundo em que vivemos, e começar a rever seus conceitos ultrapassados, a sua mente ficará totalmente livre de preconceitos.
    E quando você começar a pensar, falar e agir com bom senso já será um bom começo para você fazer bom uso da sua liberdade.

    A liberdade é a dádiva mais importante que temos.

    Ñflbnit,

    Todos nós devemos ser sempre intensos e verdadeiros. Não devemos perder a espontaneidade represando nossos sentimentos e nossa vida… Mas se até hoje nada do que você aprendeu se aplica aos acontecimentos da atualidade, tenha calma e presença de espírito e compreenda a sua desorientação. Para isso é imprescindível rever seus conceitos, rever a si mesmo, em quem você se tornou e como interage com as pessoas para poder começar a experimentar formas novas de lidar com a realidade. O objetivo básico é esse, saber conduzir as coisas.

    Lembre-se, por fim que os momentos onde sentimos paz e satisfação são os mais preciosos na vida.

    Ñflbnit,

    Você é livre para decidir evoluir como ser humano ou estagnar. Faça a sua parte! Quanto antes você aproveitar a oportunidade de renovar-se, melhor!

    “Pratique o silêncio e você adquirirá um conhecimento silencioso. Neste conhecimento silencioso está um sistema computacional que é muito mais minucioso, muito mais preciso, e muito mais poderoso do que qualquer coisa que esteja contida nas fronteiras do pensamento racional.”

  7. rodrigonunesouza
    março 26, 2011 às 00:55

    Pra inicio de conversa eu costumo escrever calado.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: