Início > Crônicas da vida, Defeito Colateral > Os segredos da felicidade.

Os segredos da felicidade.

“Com a felicidade acontece o mesmo que com a verdade: não se possui, mas está-se nela. Sim, a felicidade não é mais do que o estar envolvido, reflexo da segurança do seio materno. Por isso, nenhum ser feliz pode saber que o é. Para ver a felicidade, teria de dela sair: seria então como um recém-nascido. Quem diz que é feliz mente, na medida em que jura, e peca assim contra a felicidade. Só lhe é fiel quem diz: fui feliz. A única relação da consciência com a felicidade é o agradecimento: tal constitui a sua incomparável dignidade.” Theodore Adorno.

Como saber se somos felizes ? Posso saber se fui feliz ontem. E isso bastaria. Mas quais os segredos da felicidade? Afinal, o que é felicidade ?

WIKIPEDIA;

“A felicidade é uma gama de emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento ou satisfação até a alegria intensa ou júbilo. A felicidade tem ainda o significado de bem-estar ou paz interna. O oposto da felicidade é a tristeza.

Existem diferentes abordagens ao estudo da felicidade e das suas causas, abordagens estas que têm sido usadas pela filosofia, pelas religiões e pela psicologia. O homem sempre procurou a felicidade. Os filósofos e os religiosos sempre se dedicaram a encontrar as suas causas e em definir que tipo de comportamento ou estilo de vida aumentaria o nosso nível de felicidade. Os filósofos veem a felicidade como bem-estar ou qualidade de vida e não simplesmente como uma emoção. Neste sentido, a felicidade é o que os gregos antigos chamavam de eudaimonia, um termo ainda usado em ética. Para as emoções associadas à felicidade, os filósofos preferem utilizar a palavra prazer. O dalai-lama Tenzin Gyatso diz que a felicidade é, para ele, uma questão de treinamento mental[1].

É difícil definir rigorosamente a felicidade e ainda mais difícil definir medidas desta. Investigadores em psicologia desenvolveram diferentes métodos, como por exemplo o inventário da felicidade de Oxford, para medir o nível de felicidade de um indivíduo. Nestes métodos, levam-se em conta fatores físicos e psicológicos como envolvimento religioso ou político, estado civil, paternidade, idade, rendimento etc.

A psicologia positiva é um movimento recente dentro da ciência psicológica que pretende dar maior ênfase ao estudo da sanidade mental, por oposição à psicologia mais tradicional que estuda sobretudo as patologias. A psicologia positiva relaciona a felicidade com emoções e atividades positivas[2].

A economia do bem-estar defende que o nível público de felicidade deve ser usado como suplemento aos indicadores económicos mais tradicionais, como o produto interno bruto, a inflação etc. Para Alexei Lisounenko, felicidade se traduz em aceitação, ou seja, em se aceitar quem de fato é, realizando a partir daí mudanças positivas em sua vida. A felicidade é um sentimento interno e terno, ela é um reflexo do autoconhecimento. Ele frisa que esta aceitação está longe do conformismo, sentimento onde você aceita sua vida de uma forma negativa, sem perspectiva de mudança interna em direção à felicidade.

As pessoas têm diferentes formas de alcançar a felicidade. Porém estudos científicos têm procurado achar padrões de comportamento e pensamento nas pessoas que se consideram felizes. Alguns padrões encontrados são:

  • capacidade de adaptação a novas situações
  • buscar objetivos de acordo com suas características pessoais
  • riqueza em relacionamentos humanos
  • possuir uma forte identidade étnica
  • ser competente naquilo que se faz
  • enfrentar problemas com a ajuda de outras pessoas
  • receber apoio de pais, parentes e amigos
  • ser agradável e gentil no relacionamento com outras pessoas
  • não superdimensionar suas falhas e defeitos
  • gostar daquilo que se possui
  • ser autoconfiante
  • pertencer a um grupo[3]

Portanto meus caros, percebemos que a  felicidade não só existe e foi descoberta pelo homem e por  sua ciência, e que ela é possível mesmo nos casos mais adversos, de necessidades mais extremas, o que significa o absurdo de mesmo um depravado ser feliz na sua depravação ou que um inocente vitimado, seja  feliz na sua penúria, no seu sofrimento. Há felicidade mesmo na dor, pelo que se nota no artigo WIKIPEDIANO que foi muito feliz.

Então você quer ser feliz ? Eu tenho os caminhos e os segredos da felicidade todos comprovados com metodologia científica e cética, só comentar.

Não estou cobrando a consulta,isso ai é obra social que estou fazendo na internet, se você não é feliz, e tem algum problema, eu posso te indicar o caminho certo para sua felicidade.

Abraço e sejam mais felizes.

Anúncios
  1. Jonny
    fevereiro 28, 2011 às 18:38

    “A melhor maneira de se ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros.”

    “Recomende aos seus filhos moralidade; somente isso, e não dinheiro, poderá fazê-los felizes.”

    “A luta ansiosa pela felicidade é o que dá infelicidade a muita gente.”

    “Nunca deixo de ter em mente que o simples fato de existir já é divertido.”

    “O coração que está em paz vê uma festa em todas as aldeias.”

    A Felicidade é uma coisa louca.

    “A busca da felicidade, como postulada nos dia de hoje, leva a um fechamento do inconsciente numa orientação autoerótica para cuja satisfação se oferece um sem número de saberes “terapêuticos” que não decifram o inconsciente, mas simplesmente tentam dar conta dos sintomas de forma desconectada, buscando obturar a hiância simbólica. Isso é o avesso do que busca a psicanálise.
    Segundo Freud, a felicidade só pode ser alcançada de forma episódica. Essa felicidade se aproxima da suplência psicótica, pois ambas trazem em si a falta e a marca do que buscam suprir. Assim, pode-se aprender com a invenção psicótica que para se lidar com o gozo e se atingir a felicidade possível a cada um é preciso buscar-se formas não padronizadas, únicas a cada indivíduo. Como diria Vinicius: A felicidade é uma coisa louca!”

    Felicidade – Vinicius de Moraes
    Composição: Vinicius de Moraes / Antonio Carlos Jobim

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a pluma
    Que o vento vai levando pelo ar
    Voa tão leve
    Mas tem a vida breve
    Precisa que haja vento sem parar

    A felicidade do pobre parece
    A grande ilusão do carnaval
    A gente trabalha o ano inteiro
    Por um momento de sonho
    Pra fazer a fantasia
    De rei ou de pirata ou de jardineira
    E tudo se acabar na quarta-feira

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a gota
    De orvalho numa pétala de flor
    Brilha tranquila
    Depois de leve oscila
    E cai como uma lágrima de amor

    A felicidade é uma coisa louca
    Mas tão delicada também
    Tem flores e amores
    De todas as cores
    Tem ninhos de passarinhos
    Tudo isso ela tem
    E é por ela ser assim tão delicada
    Que eu trato sempre dela muito bem

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A minha felicidade está sonhando
    Nos olhos da minha namorada
    É como esta noite, passando, passando
    Em busca da madrugada
    Falem baixo, por favor,
    Pra que ela acorde alegre com o dia
    Oferecendo beijos de amor

    Como Dizia o Poeta

    …A vida só se dá pra quem se deu…
    (Vinicius de Moraes)

  2. rodrigonunesouza
    março 4, 2011 às 05:21

    Jonnhy, freud eh o maior infeliz que ja tive noticia na humanidade. Acho que eu feliz do jeito que sou posso falar com mais propriedade do assunto que ele.. .
    e o ramo da psicologia que eu uso eh cientifico, não é psicanalítico.
    Falo de behaviorismo, testado em macacos, em ratos, e em personagens de the SIMs;

    A ciência descobriu a existencia da felicidade, enquanto freud, não acreditava sequer que a felicidade existia.

    Tal como era com Deus, ele não acreditava que existia também, mas agora que está no inferno com o diabo ele acredita.

    Já vinicius, esse sim … é o porta-voz da felicidade humana. Esse tem moral pra falar o que quiser e ele só corrobora minha tese.

    A felicidade precisa que haja vento sem parar… a do pobre dura pouco, como a gota de orvalho, pq a fonte da felicidade seca…
    A fonte da felicidade não pode secar, tem de ser contínua… assim ela se eterniza, e deixa de ser um momento pra ser uma eternidade.

    Na musica alem do amor, por exemplo, ele expõe os motivos de sua tristeza, e as condições dela acabar.

    O responsável pela tristeza, eh o tempo.

    O tempo eh o responsável pela ausencia de felicidade na musica a felicidade.
    O tempo faz o orvalho cessar, o tempo faz o carnaval do pobre ter fim…

    A felicidade dele, no fim da letra, resolve dizer qual é o vento que a sustenta, e são os olhos da sua amada. E ele implora que pra sua felicidade não termine, que ela acorde alegre como o dia, oferencedo-lhes os beijos que ele precisa pra ser feliz.. A felicidade tem um fim, mas não necessariamente, segundo vinicius, nossa esperança eh na felicidade sem fim, que o orvalho não pare, que o carnaval não termine, que a paixão nunca morra.

    Precisamos interpretar a obra e o pensamento, e entender, que estamos pertos de alguem que sabia do que falava, com muita propriedade.

  3. Jonny
    março 6, 2011 às 12:21

    “A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz”. (Sigmund Freud)

    “Esse homem encontrou a felicidade ao descobrir o tesouro de Príamo, o que prova que a realização de um desejo infantil é o único capaz de proporcionar a felicidade”. (Sigmund Freud)

    Esta concepção sobre a “alegria de viver” aparece numa rara entrevista de Freud, no auge de usa trajetória como pensador e clínico. Diz ele:

    “Setenta anos ensinaram-me a aceitar a vida com serena humildade (…). Não, eu não sou pessimista, não enquanto tiver meus filhos, minha mulher e minhas flores! Não sou infeliz – ao menos não mais infeliz que os outros”.

    “… A afirmação freudiana que diz que “o mundo é movido pela fome e pelo amor” também traz sérias consequências práticas, para além da biologia, da psicologia, da política, etc. Somente um pensamento complexo que está por ser inventado poderá dar conta dessa questão…”

    “Não escapa a Freud que a felicidade é (…) o que deve ser proposto como termo a toda a busca, por mais ética que seja”. (Jacques Lacan)

    “Ninguém pode me obrigar a ser feliz a sua maneira”. (Immanuel Kant)

    “Das clássicas proposições filosóficas aos atuais manuais de auto ajuda, passando pelos trabalhos científicos e as construções utópico ideológicas predominantes no século 20, a verdade é que o ser humano ainda não conseguiu dar uma resposta definitiva e satisfatória sobre o que é ser feliz e como conseguir sê-lo…”

    “Jonnhy, freud eh o maior infeliz que ja tive noticia na humanidade”

    Às vezes eu me pego pensando assim também.

    Bem, eu estou sempre consciente e com os meus olhos bem abertos para não perder a noção da realidade do sofrimento na vida do mundo. E da mesma forma que eu estou sempre aberta e sem defesas para experimentar a alegria, é importante que eu esteja igualmente aberta para experimentar sentimentos desconfortáveis e difíceis.

    É Carnaval… E quantos benefícios ele produz. Divertir-se é uma necessidade. Deixar o barco correr, confiar nos “desígnios misteriosos do destino”, deparar-se com inúmeras pessoas com bom humor… Mas sem agredir ou perder o nosso senso ético.

    Carnaval/diversão não é uma atividade superficial, ele é a justa medida das coisas para as nossas almas que se esforçam sinceramente todos os dias no sentido de fazer dar certo todos os nossos objetivos.

    “Ao certo Bárbara, Jonnhy, MUleque Retardado, seja como for…”

    “Faça sempre o que tiver medo de fazer”

    “Meu ensinamento é como um dedo apontando para a Lua. Favor não confundir o dedo com a Lua” (Buda)

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: