Início > Literatura Colateral > Palavras que nunca chegam/rão

Palavras que nunca chegam/rão

Para não dizer que não falei das flores posto nada e blábláblá, como se vocês sentissem falta de ler alguma coisa que eu escrevo (ha ha), vai uma poesia, cujo nome deixei bem claro no título do post.

São palavras comuns,
que juntas dizem o que sinto;
Palavras ordinárias que eu guardo,
em algum lugar bem guardado;
Palavras sinceras,
acima de tudo;
Palavras e desejos que,
se ditas,
te farão dar dois,
três,
quatro ou mais passos para trás;
Você me conquistou,
se acostume com isso.

Bruno Dorneles. Será? Quem sabe?

Anúncios
  1. rodrigonunesouza
    junho 9, 2010 às 04:09

    viva aos novos poetas.

  2. Silvia
    julho 14, 2010 às 23:47

    sabe que eu até que gostei!
    só não gostei do título.
    tu me autoriza a reproduzir sem o título?
    mas com os créditos, lógico.

    (já pensou em escrever um romance?
    eu leria, tou na onda dos romances agora.)

  3. julho 15, 2010 às 11:30

    pode usar sem o título sim, basta colocar o link de onde você leu …

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: