Início > Defeito Colateral > O que é ser-humano?

O que é ser-humano?

O que é ser-humano?
O que é ser humano?

Ser humano é acabar com a sua hipocrisia, seus preconceitos e seus defeitos?
Ou aprender a conviver com eles?

Afinal de contas, estamos lutando pelo quê?
Por uma humanização, ou pela santificação?

Anúncios
  1. santosmarcela
    março 25, 2010 às 20:26

    Olha, sendo sincera, eu admito que tenho um lado cheio de hipocrisia, egoísmo, vaidade, que são inerentes do ser humano, mesmo. Mas, acho que se são essas caracteristicas que impedem, de certa forma, o melhor desenvolvimento/crescimento do mundo, devemos procurar mudar, melhorar, aprender, etc.

    Ser ético não significa ser santo, necessariamente. Eu sei que não sou perfeita, admito e tento melhorar.

    Mas, essa é a minha opinião. A maioria das pessoas concordam com a frase “Sou assim e não vou mudar”. Eu não sou uma delas…

  2. rodrigonunesouza
    março 26, 2010 às 00:20

    Cara,você é um santo, se fosse outro ali já tinha me mandado tomar no cu.

    hauhauhauhauhauahuahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhaahuahuh

    E pelas entrelinhas vc mandou várias vezes,mas de maneira muito elegante.

  3. Garanhoto
    maio 8, 2010 às 10:52

    Pelo que se mede o proprio valor enquanto ser-humano?

    Como o preconceito se relaciona com esse valor?

    A maioria dos que chamamos preconceitos sao generalizacoes logicas. Como ter sua configuracao setada para a crenca de que todo mendigo eh desvirtuoso, o que, mesmo coerentemente logico, pela observacao do que produz seu comportamento e atraves do raciocionio, nao passa matematicamente de uma inverdade absoluta.

    Ha que se verificar mais a fundo o conteudo das ideias, com a consciencia de que palavras possuem significacao subjetiva. Ou seja, cada um tem seus proprios significados para cada ideia ou palavra, e ainda mais, essas ideias ou conceitos sempre dependerao de contexto, por exemplo o que eh lixo ou o que nao eh, e de desdobramento ainda mais serio, o que se deve fazer com o lixo.

    A questao eh o que exatamente eh a definicao de preconceito? Eu dou a minha: Seria todo conceito insuficientemente refletido, e mesmo assim concluso.

    Basicamente, o preconceito eh uma conveniencia da preguica intelectual, enquanto nao se emprega a virtude de elimina-lo, pelo conhecimento completo de uma coisa, encontrando-se e estabelecendo-se uma conclusao logica e profunda sobre a tal.

    Mas, se o preconceito eh o conhecimento parcial e imcompleto, e fato eh que conhecemos todas as coisas tao somente em parte, logo concluimos que todos nossos conceitos nao passam de preconceitos. Porem, nao eh so bem assim.

    O preconceito nao so eh a intotalidade do conhecimento ou da reflexao. O preconceito depende sim eh da falsa conclusao e de seu estabelecimento como crenca do que eh verdadeiro, e ainda mais, do condicionamento do entendimento das coisas a essa falsa conclusao.

    Preciso me lembrar que dos meus entendimentos vem minhas acoes e minhas acoes descrevem minha vida e meu valor.

    Vejo que o desafio da auto-producao de valor humano passa pelo aprofundamento e densificacao das conclusoes do entendimento.

    Vejo que, sim, eh um desafio! Se eh que realmente nao nos agrada a mediocridade propria, devemos sim tratar de eliminarmos nossos preconceitos, formando buscas mais profundas e encontrando conclusoes mais completas para as coisas. E isto resultaria num entendimento mais brilhante, o que, dentre alguns outros itens, seria criterio para a qualificacao do valor enquanto ser-humano.

    Ainda penso que o desafio eh pessoal e intransferivel.

    “Hipocrisia, preconceitos e defeitos”. Interessante que me parece que todos essas tres coisas nascem de um mesmo lugar chamado ignorancia.

    E interessante que enquanto eu protelar em empreender o tal desafio com o afinco de um atleta diario, continuarei a sentir odio contra mim mesmo. Esse odio que deve vir da insatisfacao intelectual (dentre algumas outras), porque nao me cumpro comigo mesmo quanto a ansia de me livrar da propria ignorancia.

    Ignorancia nao eh somente de origem intelectual, como, mais profundamente, humana mesmo. A ignorancia do sentimento de insatisfacao, ou mesmo, a ignorancia das origens da insatisfacao e sua natureza, constitui um erro, um erro tal que nos faz sermos hipocritas, erro tal que nos faz sermos somente o que ja atingirmos ser, matando o tempo, tornando em nula nossas existencias, ou pior, sofrimento, pelo proprio condicionamento desvirtuoso.

    Disto vem o defeito. Algo defeituoso nao funciona em sua totalidade, e geralmente algum sinal se mostra desse defeito, como os maus resultados produzidos. No caso do ser-humano, felizmente existem sentimentos tais e certas faculdades de percepcao e auto-feedback que nos indicam a presenca de defeitos mil. Os que se nos sinalizam mais barulhentamente geralmente sao os mais serios, com os quais deveriamos mais nos preocupar, ou muito melhor, nos ocuparmos seriamente em os corrigirmos, quando nao, alcancando tal oportunidade, os eliminarmos.

    Se para voce santo eh aquele que se encoraja, num compromisso de sangue, a determinantemente se embrenhar pela saga do estar em dia com sigo mesmo, no intimo, fazendo o que eh necessario para cumprir-se por inteiro e buscando as solucoes, muitas vezes dificeis ao nivel de nao se as poder enxergar, para libertar-se das auto-cobrancas legitimas e paga’-las no objetivo da totalidade, mesmo em consciencia de seus limites que muitas vezes se vao alem, entao esse eh o humano que voce quer exercer de si.

    Chame de santidade, virtude, ou simplesmente de o desafio de todo humano que sente e ve. O sentimento de algo grande que nao sei o que, e o vislumbre de algo que parece lindo.

    Isso eh o que esta se passando comigo neste exato momento, e estou ainda morrendo e tremendo de medo, e paralizado com ainda por cima uma preguica desgracada, e pior ainda envolto no odio contra isso tudo que eh o mim.

    No entanto, agora tenho mais uma chance. Vou encarar ou nao mesmo nunca?

  4. Garanhoto
    maio 8, 2010 às 13:17

    Continuando…

    Ser humano nao significa somente ter defeitos, como hipocrisias e preconceitos, mas ser humano implica tambem na possibilidade de nao aceitarmos e nao permitirmos-nos sermos dirigidos por eles.

    E mais: nunca nos acomodarmos fixamente quanto a um conceito, estando conscientemente aberto para o atualizarmos, o ampliarmos e/ou fazermos nele novos desdobramentos contextuais.

    Mas, perante isso tudo, neste exato ponto possivelmente abencoado, por onde comecar? Se decidi que quero sim empreender tal saga, aceitando o desafio, mesmo sabendo da absurda dificuldade, diante de tantas contradicoes e limitacoes e fraquezas, sabendo que vai haver momentos de dor, dor tamanha que me cegara’ novamente, a memoria vai falhar, eh a memoria do objetivo, eh a memoria das motivacoes, toda minha estabelecida natureza habitual contra mim, o cansaco, eh tudo isso e muito mais, pelo que devo eu ter posto mui claramente nao somente o por onde comecar, como o como fazer o objetivo garantir-se em realizacao, ou seja, eu devo elaborar um plano e uma estrategia para me manter nele. Um plano simples o suficiente para ser possivel no meu nivel, sem me sobrecarregar e me fazer voltar ao zero mais uma vez, e uma estrategia eficiente para a memoria do que eu quero e preciso, para prosseguir rasgando a inercia com ganho e consistencia pelo tempo.

    Por onde comecar? Lendo um livro foda por inteiro? De que materia? Devo criar uma tabela de estudos e assim abarcar mais materias de uma so vez? De qualquer modo, devo estudar o livro, investindo demoradas horas em anotar num caderno minhas conslusoes pessoais, e assim correria o risco de ser pesado de mais para mim fazer o ideal logo de cara? Talvez le-lo refletindo consideravelmente seria o bastante.

    OK. Se um livro deve fazer parte da receita, que livro? Que livro seria o mais adequado para mim neste momento? Talvez algum de voces possa me ajudar com uma boa sugestao (alias em tudo aqui boas sugestoes sao bem-vindas ja que meu desafio me parece complexo demais para minha propria compreensao).

    Somente um livro? Meu corpo tambem esta me gritando totalmente perturbado! Preciso de yoga e jogar bola. Ideal seria yoga todo dia, meu corpo me diz, e bola umas duas ou tres vezes por semana.

    Que mais, de coisas que posso comecar hoje mesmo? (Lembrando que tenho que ser gentil e comecar devagar, nao tanto que nao me faca sentir as “dores musculares da malahcao”.

    (Eh… o negocio eh dificil, nao eh brincadeira nao)

    Que mais? Me ajudem! Eu quero ser mais humano!

    Entao, devo eu comecar com isso, e terei pelos movimentos do corpo ja’ mais bem qualificada energia, que me dara’ melhor visao e clareza para sentir e entender minhas proximas necessidades?

    Creio que sim.

    Preciso DO livro foda. E deste extrairei o necessario em substancia de gana de ler mais e melhor, com mais e melhor gosto, contribuindo na minha libertacao dos condicionamentos burros que me tem construido esse destino estupido, coitado e sofrivel, digno de do’, do qual estou tao profundamente farto, e que (eh fato) no qual tenho estado tao profundamente emaranhado, ao ponto de pensar diariamente que nao tem jeito, voce ja eh adulto, nao tem jeito, o que eh mais um preconceito imbecil, uma mentira infernal, fruto da minha insatisfacao pessoal, vinda do ter vivido fugindo do centro poderoso e terrivelmente verdadeiro que deve ser meu ser mesmo; insatisfacao nascida do medo, da preguica, do ter vindo escolhendo a fraqueza como praxis. Porem a pressao eh forte demais e me tem atormentado insistentemente! Eu preciso mudar, eu preciso aprender.

    Agora eh tudo ou nada, vou precisar de mantras, de palavras de efeito, de jargoes que signifiquem “ei, olha o que e porque queres, eh isso!”, que digam “LEMBRA-TE!”, pois talvez seja de boa sensibilidade usar papeizinhos, sons no celular, todas as paredes do meu quarto, ateh posso apelar para os outros sentidos, cheiros, ateh gostos, ateh mesmo coisas no tato, como um adesivo que eu troque todos dias, grudado no meu peito, que me faca sentir uma certa dor ou sensacao ao arranca’-lo, que me lembre significativamente o estado mental que eu me devo estar, ir colhecionando os adesivos arrancados. Sei la, isso me parece sensato e justo. Sim eu devo utilizar esses artificios.

    Mas e quando acontecer (e vai!)(tem mesmo que acontecer?) de o embriagamento ser tanto ao ponto de tocar o foda-se toda essa merda? E AI? Seria possivel evitar isto totalmente? Como? Como garantir o suficiente de energia de vontade qualificada no certo sentido para me fazer evitar voltar ao ponto zero? Como evitar a queda? Como evitar quedas? Ou, se impossivel, como tornar uma potencial queda total numa so pequena queda, nao perdendo todo o ja feito? Porque meus condicionamentos alcancaram nivel desgracado. Devo prosseguir martelando mantrans o dia todo na minha cabeca? SIM. Bicho, agora eh tudo ou nada, devo aproveitar esta chance com TUDO! Todo dia, toda hora, MANTRA NA CUCA, sem intervalo objetivamente, e tomando consciencia de uma interrupcao retornar imediatamente ao mantra, exceto quando refletindo, ou concentrado em alguma observacao interessante, ou lendo e estudando, quando que, devo concentrar tudo no entender e aprofundar no pensamento, o ampliando e criando novas conexoes para tudo lado.

    E lazer? E relaxar? Bom, jogar bola e dormir eh uma delas. Dormir de dia, jamais? SIM, jamais. Dormir uma quantidade tal de horas estabelecidas e em um horario rigoroso? Talvez, porque talvez eu nao suporte tal regime, minha experiencia me demonstra tal, beira o concluir que eh impossivel para mim, me auto-impor OK, mas cumprir eh que sao elas… PQP.

    Ideal, ideal mesmo seria dormir o necessario e levantar naturalmente assim que acordar, ja que eu, assim que durmo o bastante, desperto, enquanto o problema tem sido que torno a dormir porque nao quero fazer nada, penso “nao tenho nada pra fazer”, “nada pra fazer melhor que dormir e sonhar”. Acho que aqui ainda eh o lance dos argumentos e motivacoes. Despertadores! Vou gravar minha propria voz dizendo coisas chave, coisas pensadas, refletidas, coisas que cientificamente nao podem falhar, coisas que me reestabelecam o foco e regenere a vontade de vencer o gigante desafio de um dia. Ou musicas equivalentes. Isso!

    Talvez o gigante seja pesado demais, talvez eu deva repensar e trocar essas minhas metaforas, trocar tudo que me faca fraco pelo o que me contribua na forc,a, talvez eu deva pensar que o dia eh por exemplo um laboratorio super interessante, que vou me divertir fazendo o que eu mais gosto de fazer, que eh aprender e descobrir e tornando-me mais e mais forte. (mas eh tao dificil quando se esta no estado de prisao condicional de preconceitos que estou, porem nao tenho mais duvidas, EU QUERO ME LIBERTAR DA IGNORANCIA).

    Acho que eh basicamente isso. Medo e preguica: Medo quer me paralizar o que eu sou e preguica tb. Voces sao duas inhacas do inferno, humanas sim, pelo que nao aceito mais que me arranquem toda a forca fazendo-me um pobre debil.

    Agora nao sei se devo declarar guerra contra elas… acho que nao seria sensato… Porque vejo que talvez jamais eu poderia mata’-los. E mais, de verdade eu me sentiria melhor zombando da cara deles, hahahahahahaha zombar da preguica e do medo! Seria do caralho! Mas sera’? Sera’ que eu teria de conhece-los, compreende-los profundamente, antes? SIM. Porque assim, sabendo cada aspecto de suas atividades eu posso idendifica-los em suas sutilezas de emersao, e nai’, tao logo pensarem em surgir, eu ja abafo, “tse, tse, aqui nao pangare'”. Eh assim que vou tratar com isso.

    Tenho pra mim que isso eh o bastante. Mas e a socializacao? Ah, em um mes eu vou comecar a estudar na universidade, isso sera’ o bastante. Ateh lah vou tentar colher umas uvas numa cidadezinha que tem aqui pra levantar minha grana de novo.

    O livro foda. Sou um ser-humano que quer ser bom. Preciso de um livro foda e nao sei qual eh, nem tenho ideia se seria uma ficcao ou de materia academica. Acho, nao sei porque, acho que eh uma ficcao. Aceito e peco a recomendacao. Mas de qualquer forma, amanha cedo estou na biblioteca ou no sebo, eu nao posso protelar mais, eu nao aceito adiamentos, na verdade nao posso adiar mais. Esta eh a minha chance. Abriu essa chance. Tenho que segui-la a qualquer custo, ja vou inventar o primeiro mantra.

    Mantras e rituais muito loucos, ainda bem que vou me divertir com isso.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: