Início > Defeito Colateral, Velho Resmungão > É fantástico como o fantástico anda ruim!

É fantástico como o fantástico anda ruim!

Terminando de jantar aos domingos, devido uma rotina de horários, sempre acabo assistindo um pedaço do fantástico, logo depois de rir das video youtubadas cacetadas do faustão. Fazem dois ou três domingos que venho reparando na decadência que anda o fantástico, um programa que eu nunca sentei pra ver, mas que admirava por levar um pingo de matéria útil a sua casa antes de começar o big brother.

Então estava eu vendo o já-não-tão-fantástico e me deparei com uma reportagem sobre pessoas que estacionam em vagas de idosos e deficientes físicos, uma reportagem que já ví várias vezes no fantástico, que apenas foi refilmada e abordava os mesmos assunto. Então aparece um sociólogo dizendo que isso tem ligação ao egoísmo do ser-humano. Me peguei pensando: what the fuck? alguém já não sabia disso? que o ser-humano só pensa em si? Memorável foi a cena que o repórter pergunta pro motorista do carro: – Você sabia que você pode ser multado por isso? Se fosse eu, teria aberto o vidro pra dizer: – Mas quem vai pagar a multa? é você? então cala a boca filho, o problema é meu.

O engraçado é que durante toda a reportagem eles só mostraram pessoas estacionadas e blábláblá, mas em nenhuma delas apareceu algum idoso ou deficiente deixando de estacionar devido a falta de educação alheia. O que podemos dizer sobre isso? é ÓBVIO que é falta de consideração ocupar uma vaga de deficiente físico, mas porra! para de editar reportagem pra parecer que as pessoas ficaram dias ocupando as vagas. Esse jornalismo está realmente deplorável, o que as pessoas são capazes de fazer para vender uma reportagem está acima do bom-senso.

Acabada a uber-matéria sociológica do fantástico, começa o Dicró, provando como o fantástico é criativo ao pegar um pé-de-chinelo na rua pra fazer as pessoas em casa rirem da sua posição-social desvantajada .

Acho que esta coisa de inclusão interativa não está dando muito certo pro programa, esses mini-reality-shows que eles andam colocando. Onde estão os Exagerados? o Super Sincero? Onde está a Denise Fraga porra? Um dos poucos programas bons que a globo tinha, como “Norma”, “Aspones” e os já citados, viram mini-séries na emissora, dando lugar para coisas como Casseta e Planeta. Mas enfim, não podemos ficar cobrando isso, se não foram adiante é devido o baixo ibope, devido o querido povo brasileiro que se nega a olhar algo que preste na televisão. Por que sério, eu acho que isso é uma negação. Quando um programa parece interessante deve ter gente que troca de canal na hora …. que se NEGA, DE FATO, a ver algo bom na televisão …

Anúncios
  1. Rodrigo Avelar
    março 21, 2010 às 20:31

    Também acho, sem falar no globo repórter que fala de dieta e saúde praticamente toda a semana, não se importam em pesquisar para tirar o jornalismo da mesmice!

  2. santosmarcela
    março 21, 2010 às 22:07

    Por isso que eu assito ao Domingo Espetacular. Quer dizer, partes dele…

  3. rodrigonunesouza
    março 23, 2010 às 04:01

    Eu assisto ao fantástico todos os domingos. Criticamos a Tv aberta do Brasil,mas é uma das melhores do mundo, a de outros países consegue ser ainda mais tosca que a Brasileira.

    De qualquer forma, o fantástico traz sempre bons documentários da bbc traduzidos, como os sobre os oceanos; Produz matérias sobre neurociências e cotidiano; E informa a população sobre fraudes, como o caso dessa semana da medicina ortomolecular.

    Ademais a cobertura sobre o futebol da semana do fantástico é muito melhor do que da concorrência, nacional e internacional.

    Não vejo o fantástico como uma mídia tão ruim quanto nossos textos. Ao menos informam sobre os principais acontecimentos semanais.

    Não sei também o que há de ruim com o Casseta e Planeta. As piadas são muito politizadas.

    Enfim, acho demasiado exageradas as colocações, mas cada qual tem o seu gosto. E o controle remoto serve pra isso, não gostou muda de canal.

  4. março 23, 2010 às 08:46

    Rodrigo, eu não critiquei a TV aberta, eu critiquei o fantástico …

    os documentários da bbc traduzidos …. se você ver os originais, vai ver que eles resumen os documentários ao máximo (para poder caber no tempo do programa) e pior, eles põe no ar muitas vezes as partes que nem são tão interessantes dos documentários, eles fazem um resumo ruim. Informar sobre fraudes, o jornal nacional faz isso durante cinco dias da semana. E vocês já repararam que a coitada da Patrícia Poeta muda de humor como o vento muda de direção? eles deveriam se ligar mais nessas coisas de fazerem uma reportagem triste depois de uma feliz, por que eles mudam de cara a todo momento ….

    Sobre o casseta e planeta, peço para que você leia novamente o texto e conste que eu não disse que o casseta e planeta era ruim, mas comparando com os programas de humor que a globo já teve ….. porra, casseta e planeta só ganha do zorra total, por que de resto, ele deveria ter perdido seu lugar na emissora a muito tempo, em questão de conteúdo. Você fala sobre a “politizagem” das piadas …. e é isso que tu acha que o povo brasileiro vê nas piadas? posso apostar contigo como muitas pessoas olham pra ver gente semi-nua antes da meia-noite.

    Explicando então, mais uma vez, estou criticando o fantástico, estou criticando esse MAU JORNALISMO QUE EDITA REPORTAGENS PARA PARECEREM O QUE ELES QUEREM! por isso acabo criticando acho que o jornalismo todo. Sempre considerei o fantástico um bom programa, que está me dando asco ultimamente …. e como tu disse, o controle remoto serve pra isso, colocar na FOX por que certamente vai estar dando um episódio de Simpsons ou no Discovery para ver bons documentários (um do jack estripador na américa simplesmente fantástico que está na grada da programação por esses dias)

  5. rodrigonunesouza
    março 23, 2010 às 16:30

    Ok, vou tentar pontuar o que está embolado; (Não me levem a mal, só quero promover a reflexão, isso é para o bem de todos e do nosso modesto blog, não tenho nada pessoal contra ninguém aqui, adoro vocês galera…)

    1- Criticar o Fantástico que é carro chefe do Jornalismo da principal emissora de TV do país, líder de audiência nos últimos 30 anos, premiado nacional e internacionalmente, responsável por acontecimentos importantes da história desse país, de certa forma não é atacar a TV aberta indiretamente?

    2- Se eu vir os documentários originais realmente eles são mais completos, mas o fantástico só passa resumos, para entreter um pouco o espectador, e não para aprofundar; É uma forma de educar uma população que não assiste ou se interessa por documentários científicos, a ter o mínimo de interesse sobre os assuntos, se passasse na íntegra como faz a TV Futura, que também é da Globo, acabaria entediando o seu público e não despertando interesses nem cumprindo sua finalidade que não é de transmitir documentários, mas entreter educando passivamente.

    3- Todo programa de TV do mundo, sobretudo os transmitidos ao vivo, tem problemas com o tempo.

    4- Tudo que o Fantástico informa de fato é informado pelos outros jornais da Globo, seja o Jornal Hoje, Jornal Nacional ou Jornal da Globo; É uma revista semanal eletrônica, ele resume os acontecimentos da semana e aborda os temas mais polêmicos da atualidade Brasileira. Todo e qualquer jornal da mesma forma informa fraudes, e é essa uma das principais funções da imprensa.

    5- A Poeta muda muito de humor porque os quadros não são divididos entre boas e más notícias, e sim entre blocos de assuntos; Economia, Cotidiano, Saúde, Ciências,Política, Opinião, Entretenimento, Resumo da semana, Esportes etc… Isso é uma questão de edição, e o apresentador não escolhe se a notícia do próximo bloco será boa ou ruim, não é só no fantástico que funciona assim, tudo que é Jornal funciona dessa forma. O absurdo seria ela noticiar o terremoto do Haiti dando gargalhadas, ou aparecer sem entusiasmo pra falar de um Show internacional que estão divulgando. Essa é a função de âncora também, transmitir emoção, eles não são postes.

    6- Aderindo sua sugestão de ler novamente o que escreveu; “…Onde estão os Exagerados? o Super Sincero? Onde está a Denise Fraga porra? Um dos poucos programas bons que a globo tinha, como “Norma”, “Aspones” e os já citados, viram mini-séries na emissora, dando lugar para coisas como Casseta e Planeta. Mas enfim, não podemos ficar cobrando isso, se não foram adiante é devido o baixo ibope, devido o querido povo brasileiro que se nega a olhar algo que preste na televisão…”—Primeiro, o Casseta e Planeta já está no Ar há muito mais tempo, mais de uma década no mesmo horário de sempre. O que é um mérito a qualquer programa de Tv, Portanto se o Casseta e Planeta tirou o lugar de alguém certamente foi da TV Pirata que ocupava o mesmo espaço. O tipo de humor do Casseta e Planeta é diferenciado porque faz humor em forma de noticiário, dessa forma a emissora tem como manifestar sua posição crítica de forma bem humorada sobre os principais tópicos políticos, enquanto que os outros programas citados, basicamente tratam de comportamento. Se os colocam como quadros do Fantástico bem provável que seja uma forma de anunciar que se tornarão séries, DVDs e outros produtos, uma forma de divulgação inicial de um projeto. As coisas na TV não são tão ingênuas quanto em nossas opiniões, quem trabalha no meio de comunicação sabe muito bem disso, 30 segundos vale mais ou menos 150 mil pra estar no ar, então nada que está no ar é sem significado, sobretudo se está a décadas no ar, e audiência não é o único medidor disso, embora seja fundamental para os anunciantes.

    7- Se criticas todo o jornalismo que há, acaba criticando o que depois vem a elogiar, que são matérias documentais também de cunho jornalístico da TV americana que igualmente como qualquer mídia só mostra o que lhes convém. Você critica a liberdade de imprensa ou a independência econômica dos jornais, critica o gosto popular, critica qualquer fenômeno externo, e esquece que a única coisa que podes mudar na realidade é a si próprio; que tenta se desviar de qualquer possibilidade de crítica; Eu pelo menos admito que eu sou muito burro e ignorante sobre mídias televisivas, mas não a tal ponto de concordar com generalizações simplistas.
    Por fim, não me levem novamente a mal… só estou pondo em pauta reflexões, e não dizendo que estão necessariamente errados, nem que eu estou certo. São apenas inversão de focos de pensamento. E de agora em diante passarei a fazer isso com mais freqüência. Ou estarei sendo hipócrita e omisso.

  6. Bruno Dorneles
    março 23, 2010 às 19:57

    Cara, de boa, não lí nada além do que você disse depois de “se vc critica o fantástico critica a TV aberta brasileira” ……. por que, de boa cara …. isso NÃO TEM NADA HAVER, NADA. Então Não! definitivamente criticar o fantástico está longe de ser uma critica a TV aberta brasileira, primeiro por que a TV brasileira não é a globo, contrariando o que muitos parecem pensar ….

    mas, acho legal ver pessoas, como tu está sendo, de achar que só por que uma coisa é vista por muitos é boa. Legal ver isso vindo de você, que usa esse mesmo argumento quando está falando de religião …

  7. santosmarcela
    março 23, 2010 às 21:30

    Acho que o Bruno não disse que o Fantástico está totalmente ruim. Além do mais, não se pode resumir a Tv aberta ao Fantástico ou qualquer programa jornalístico. E muito menos à Globo, como bem disse o próprio Bruno no comentário acima.

    Quando você diz “Você critica a liberdade de imprensa ou a independência econômica dos jornais, critica o gosto popular, critica qualquer fenômeno externo, e esquece que a única coisa que podes mudar na realidade é a si próprio; que tenta se desviar de qualquer possibilidade de crítica” acho que, sendo assim, bem caberiam os outros programas que tratam de comportamento. Assim como vc está fazendo aqui, nos levando a uma reflexão, os ditos programas faziam/fariam. Se vc considera isso algo bom, há de concordar que os programas seriam tão “úteis” quanto Casseta e Planeta, que por sinal eu gosto.

    Gosto do Fantástico também. Mas, entendo a posição do Bruno quando disse que houve um queda no programa. Qual o problema em admitir isso? Não vejo nada demais…

  8. rodrigonunesouza
    março 24, 2010 às 01:54

    “1- Criticar o Fantástico que é carro chefe do Jornalismo da principal emissora de TV do país, líder de audiência nos últimos 30 anos, premiado nacional e internacionalmente, responsável por acontecimentos importantes da história desse país, de certa forma não é atacar a TV aberta indiretamente?”—Foi precisamente o que disse. Foi uma pergunta e não uma afirmativa. Eu reli o texto e não encontrei o que você menciona que eu havia dito, realmente não diria algo desse gênero.
    Nada a ver é usar o verbo haver fora de lugar. Diga-me o seguinte, se você critica o Fantástico, está criticando a TV fechada da Dinamarca? O fantástico passa afinal aonde? Não passa na TV aberta brasileira?
    Haver: É um verbo do latim (lat habere) vtd Ter, possuir: Alcançar, conseguir, obter, receber.
    Forma com o presente do infinitivo, precedido da preposição de, as linguagens do futuro: Haveis de ver esse dia. Haver à mão: alcançar, apanhar. Haver mister (de): necessitar, precisar, desejar. Haver por bem: assentar, dignar-se, resolver. Haver nome: chamar-se, denominar-se. Bem haja!: seja feliz, tenha bom resultado. Mal haja!: frase imprecatória.
    Portanto não se deve dizer “Não tem nada a haver”, pois é incorreto já que há o verbo ter na frase, o que significa uma redundância e erro gramatical.
    Sendo o correto “Não tem nada a ver”. Significando que o que vc está se referindo é que “Não tem nada a ver” uma coisa com outra.
    Sendo que o “a” é o substantivo da oração. Indicando algo anteriormente dito por outra pessoa, negando tal afirmação dada por esta.
    Enfim, nada a ver o seu argumento criticando o que eu nem escrevi. Acho que esse seu hábito de responder o que não leu não é muito elegante nem reflexivo. Se achas que estás perfeito me perdoe por tentar ajudar o seu desenvolvimento de escrita, que acho o mais saudável para o nosso Blog.
    Acho que é importante pensar no que foi dito, e realmente averiguar se isso tem um fundamento racional.
    A Globo não é a TV aberta como um todo, mas é a sua liderança em qualidade de profissionais que ali trabalham, financeiramente, em audiência ou qualquer outro aspecto que queiramos comparar com as outras. Mesmo em qualidade.
    Se você reparar, em meu argumento eu não digo que o Fantástico é bom porque é visto por muitas pessoas, ou pelo menos não apenas por isso. Eu digo sim pelos eventos históricos pelos quais ele foi responsável e pelos prêmios nacionais e internacionais que tem recebido. Em qualquer faculdade de jornalismo ou qualquer jornalista gostaria de trabalhar em um jornal com esse nível de qualidade, é o carro chefe da maior emissora da América Latina e Terceira maior do mundo, isso é bem diferente de ser visto por muita gente apenas; O simplismo não mora em meu discurso.

  9. rodrigonunesouza
    março 24, 2010 às 02:10

    O problema é que na verdade a qualidade do programa tem em muito melhorado. Realmente o Bruno não disse que o fantástico está totalmente ruim, nem eu disse que ele disse isso.
    Nem resumi a TV aberta ao Fantástico, mas que é um fato que o Fantástico pertence à TV aberta brasileira, isso nem se discute. E não se discute que o fantástico é carro chefe da principal emissora do país, nem que ele é principal referência no assunto jornalismo. Os profissionais que trabalham no Fantástico têm maior autoridade pra falar de qualquer assunto relacionado a jornalismo, seja por experiência ou currículo, do que qualquer um de nós.
    De fato, ele entra em profunda contradição, a reflexão não é algo externo e sim interno, eu posso tentar fazer refletirem, mas não quer dizer que isso acontecerá, já que como o próprio Bruno disse, ele nem leu o que escrevi depois de um trecho que ele citou que eu nem me lembro de ter escrito.
    O problema é que sou bem objetivo em determinados assuntos, e organizo-me e tento organizar o argumento alheio. Problema de admitir isso Marcela, é que eu não admito uma conclusão se as premissas são todas falsas. Simplesmente se argumentos melhores conseguirem prevalecer sem problema algum eu admito isso. Mas o Fantástico a cada semana está melhor, e que façam mais matérias mostrando como o brasileiro é mal educado nos pequenos detalhes, como estacionar carros nas vagas de deficientes; O cara estar errado e não admitir o erro é um absurdo, como por exemplo, ele insinuar que diria que ele que pagaria a multa. O que seria um profundo desrespeito para com a cidadania. Realmente espero que nunca nenhum de nós precise de uma vaga de portadores de necessidades especiais para estacionar e perceba que as pessoas não cumprem com isso já que podem pagar a multa. É como o caso, de maneira menos drástica, óbvio, dos que queimaram o índio em Brasília e que se fiaram nos país que eram influentes na política e na justiça do país; Se a pessoa se fia na sua estabilidade financeira para abusar de crimes, como o Adriano do flamengo se fia na sua fama para comprar motos pra traficantes, como as pessoas fazem isso; Eu simplesmente não sou hipócrita, e reconheço que fui enquanto concordei com algumas opiniões.
    Condeno o simplismo e as generalizações, simplesmente e de maneira generalizada.
    Faço isso para que comecem a refletir melhor um pouco, para que não pensem que a perfeição possa morar em seus raciocínios, estamos todos sujeitos aos erros, e temos todos de melhorar muito como pessoas e como escritores.
    Não me ausento de culpa, mas percebo que se posso fazer algo para darmos um salto de qualidade, que façamos isso imediatamente.
    Fiquem livres pra argumentar, que eu analisarei vossos argumentos de maneira prudente e ordenada como tenho feito, e sem ofender os senhores.
    E desculpem se não gostam que discordem de vossos pensamentos, acho que o melhor seria me convencerem de que estou errado.

  10. Bruno Dorneles
    março 24, 2010 às 06:55

    blablablabla

    não lembrava como tu conseguia ser tão chato as vezes rodrigo aheohaouehouaeh

    haver ou a ver, tu entendeu? que bom, então ponto!

    e não confunda “objetividade” com “impor minha opinião sobre os outros com comentários maiores que os textos, que no fim ninguém vai ler, nem a pessoa pra quem eu me dirijo/dirigo”

  11. santosmarcela
    março 24, 2010 às 09:01

    “Realmente espero que nunca nenhum de nós precise de uma vaga de portadores de necessidades especiais para estacionar e perceba que as pessoas não cumprem com isso já que podem pagar a multa.”

    Tudo bem… Realmente, algumas coisas devem ser repensadas.

  12. rodrigonunesouza
    março 24, 2010 às 12:28

    Haver tem outro significado, que muda completamente o sentido.

    Não confundo objetividade com impor minha opinião, eu estou argumentando pontos de vista e reflexões, quem está impondo verdades conclusivas sem premissas é você.

    Mas a preguiça de pensar não é exclusividade sua, estou sugerindo reflexões, uma delas é com o uso dos verbos em CAPSLOCK, só fica mais visível a ignorância dos que ignoram os fatos.

    E pelo menos a Marcela leu, e se você não faz questão de aprender como aprimorar sua escrita e pensamento reflexivo, ela acaba pegando essa aula no seu lugar.

    O Blog é um bom espaço para desenvolvermos nossas habilidades de escrita.

    No fim, você não tem como sustentar nenhum de seus argumentos, todos baseados em profunda ignorância e preconceito, e todos descaracterizados, quem só ler esse post final pode entender, e quem duvidar disso pode ler tudo.

    Nada pessoal, você é um cara maneiro, eu só não concordo que eu deva ser hipócrita pela hipocrisia alheia, como vim sendo quando omisso; Agora já que tenho opinião, manifesto-a.

  13. Bruno Dorneles
    março 24, 2010 às 14:13

    não entendi em que ponto n posso defender minhas idéias, só por que elas são um punhado de opiniões pessoais? eu acho isso do fantástico, to ME FUDENDO pro que tu acha. Se tu pensa que, parando pra pensar, mudaria alguma coisa as opiniões que eu coloquei no texto, tu ta redondamente enganado, por que NENHUMA delas é baseada em ignorância ou pré-conceito, e te provo isso:

    falei mal de duas coisas no fantástico:

    1º – eles fizeram uma reportagem que eles já haviam feito, no mínimo duas vezes, por que EU MESMO JÁ HAVIA VISTO, e não atingiram a meta que eles pretendiam com a reportagem, por que não mostraram DE FATO, alguém atrapalhando uma pessoa com necessidades especiais de estacionar no seu lugar reservado. E QUERO QUE VOCÊ OLHE A MATÉRIA PARA PODER DIZER QUE ESTOU ERRADO.

    2ª – falei mal do Dicró, e apenas deixei claro (coloquei um link para a imagem no texto, basta clicar na parte azul para ver) que eles não foram os primeiros a fazer isso, e quero ver você provar que o fantástico foi o primeiro a pensar em fazer algo como o Dicró.

    3ª – não falei que o casseta e planeta era ruim, falei que já ví prograas de humor muito melhores do que ele na mesma emissora.

    Só que então tu, com comentários enormes que parecem ter a sede de distorcer tudo que eu falo, vem e fala que eu falei mal do fantástico, e então tbm to falando mal da TV aberta (que inclui a record, band, rede tv, mtv, futura, tvz, ulbra TV, sbt …) e que falei mal do casseta e planeta, e falei mal da Tia anastácia, chamei ela de preta ….

    porra velho, vou te dar duas dicas: não leve tudo ao pé da letra, e pare de julgar meus textos como se eu estivesse fazendo um trabalho socio-filosófico, só estou criticandoa algo baseado em opiniões pessoais. SÃO OPINIÕES PESSOAIS PORRA, OPINIÕES PESSOAIS MUITAS VEZES NÃO TEM UM MOTIVO, SIMPLESMENTE É NÃO OU SIM!

    Agora, tendo lido este meu comentário, espero que você veja o que eu quis dizer com o texto. Eu não quis levantar críticas e pixar muros, só quis dizer algo que não gosto, e se você ainda não entendeu, pesso para que simplesmente pare de ler meus textos, basta ignorar se é tão difícil entender uma mente inferior a sua.

  14. rodrigonunesouza
    março 25, 2010 às 00:50

    Não podes defendê-las racionalmente, já que como em letras maiúsculas e em português desastrado afirma que não tem motivos; Motivos para opiniões em uma linguagem mais objetiva são premissas para conclusões.

    Se suas conclusões não são baseadas em premissas elas são naturalmente preconceituosas, já que são anteriores aos conceitos, ou premissas como preferir chamar os devidos sinônimos desse contexto; Que são ignoradas, portanto preconceituosamente, ignorantes. Basta saber que o ignorante é o que ignora;
    O que não quer dizer que você seja uma pessoa ignorante sempre, ou que você sempre seja preconceituoso, apenas nesse caso específico em que abre mão de um raciocínio pra se chegar à uma opinião. Se o raciocínio é desqualificado e não defendido simplesmente é o mesmo que ele não existir, já que ele já foi demonstrado nulo.
    Agora se suas premissas são essas as refuto com facilidade;
    1- Enquanto os portadores de necessidades especiais não forem respeitados, passarão não só no Fantástico, mas em todos os jornais matérias desse gênero. Por outro lado, o objetivo pelo que percebi é mostrar a falta de sensibilidade do povo e a impunidade. Sobretudo o descaso e o desrespeito ao portador de necessidades especiais, que também é um cidadão. Quando querem mostrar um cadeirante que precise das vagas, eles fazem matérias sobre o cotidiano das pessoas, e demonstram em praticamente todas que faltam as vagas. E as dificuldades não são poucas, e a causa delas é gente sem sensibilidade para entender coisas simples, pois não se trata de um luxo mas sim de uma necessidade.
    2- O Dicró é malandro velho, sambista, letrista, compositor; Em nada tem a ver com o caso do Zina que é um drogado maltrapilho. A comparação realmente não procede. E pobre está na TV antes do Zina aparecer, e isso não impede que outros apareçam se é esse o ponto de comparação.
    3- Pois já foi argumentado que o estilo do Casseta e Planeta nada tem igualmente a ver com os dos programas citados, e nem foi comentado aqui que disseste que é ruim e sim que não faz sentido por exemplo colocar no lugar do Casseta e Planeta qualquer exemplo desses.

    Suas premissas, ou motivos, são fajutos. Não quer dizer que não os tenha entendido, já que os explico, e só se explica o que se entende.
    E você falou mal do fantástico várias vezes. E falou mal da TV aberta mesmo não tendo falado mal da Record, Band, Rede TV,Mtv, Futura, Tvz, Ulbra TV ou do Sbt. E mesmo sem saber que falou. Primeiro porque o jornalismo de todas essas copia o mesmo modelo do fantástico, e você falou mal de todo e qualquer jornalismo em um de seus comentários posteriores ao Posts, e pelo que eu saiba a Globo não é um canal de TV fechada da china, portanto querendo ou não, se com intenção ou não, você acabou direcionando o discurso ao que pertence a Globo e o Fantástico.
    Eu não levo as coisas ao pé da letra, eu interpreto entrelinhas, o que é exatamente o oposto. Eu não insinuei por exemplo que eras racista pra vir com a comparação de que insinuei que falou mal da Tia Anástacia dizendo que ela é preta. Primeiro porque ela é preta mesmo e isso não é questão de opinião, é um fato. O que acho estranho é que dizer que alguém é preto não é falar mal desse alguém, e sim descrever a cor da pele da pessoa. Mas parece que em seu discurso, nas entrelinhas, alguém ser preto é uma coisa ruim. Você mesmo acaba sugerindo racismo, o que é até criminoso perante nossa lei.
    Eu estou te dando dezenas de dicas sobre as quais você está ; ”se fudendo pro que eu acho” e nenhuma delas o senhor acata ou reconhece. Uma delas é não escrever coisas como “Pesso” ou “Nada Haver” dicas que são para o seu bem e bem dos seus leitores. Então, se não acatas minhas dicas, porque diabos deveria seguir as suas. Você me sugere que eu deixe de pensar embasado em minha cultura sócio-filosófica pra pensar como um ignorante preconceituoso? Não vou acatar sua dica, até porque não concordo e com motivos racionais e claros, e não apenas porque “ESSA É MINHA OPINIÃO E PRONTO”. Se eu sei como pensar, nada vai me fazer largar isso de lado pra agir exatamente como tudo que eu condeno.
    A partir do momento que um texto é publicado ele está aberto ao julgamento, sobretudo na internet, então eu não tenho motivo algum para não julgá-lo, a não ser querer lhe agradar de maneira omissa. Não é o caso, também não estou me importando muito com o que você pensa sobre isso, você não tem como fugir das críticas dos que quiserem criticá-lo. A não ser que siga o exemplo de ditadores, o que não seria espantoso.
    Você deu realmente exemplos do que não gosta, e a falta de fundamento para tanto. E eu comentei sobre, absolutamente normal isso. Eu entendi perfeitamente tudo o que você disse, e sinceramente, acho que foi você que não entendeu o que você mesmo disse. Os motivos para isso já foram enumerados e repetidos várias vezes, o que leva a entender que ou você não os entendeu ou os ignorou.
    Sua mente nem por isso é inferior a minha, você é um cara esperto, inteligente, tem boa cultura. Mas uma coisa é ser inteligente, outra coisa é usar a inteligência. E eu justamente estou mostrando que parece que não a tem usado muito para defender opiniões que não são baseadas em inteligência mas sim em um instinto quase animal de autodefesa; “SÃO OPINIÕES PESSOAIS PORRA, OPINIÕES PESSOAIS MUITAS VEZES NÃO TEM UM MOTIVO, SIMPLESMENTE É NÃO OU SIM!”
    Mas não pense que meu motivo é lhe ofender, longe disso, só estou manifestando minha opinião como você está manifestando a sua, só que uso o caminho da racionalidade e você o preconceito ignorante.
    O que não quer dizer que você não raciocine nem seja inferior a mim. Você é tão livre quanto sou pra discordar do que quiser sobre o que eu falar.

  15. Bruno Dorneles
    março 25, 2010 às 01:13

    Você realmente continua sem entender ….. isso é muito triste.

    Por que você simplesmente não consegue aceitar que eu n gosto de coisas do fantásticos pelas justificativas que eu dou? são as minhas justificativas, goste você ou não.

    Você pode n gostar de manga pelo gosto, eu n gosto pela consistência, são motivos diferentes para um mesmo fim: não gostar de manga, o motivo é indiferente, mas continua sendo o motivo.

    E cara, de boa, não critica meu português errado, por que tu só faz isso quando está sendo crítico com um texto meu, por que em muitos outros textos que cometi erros de português tu n reclamou ou expôs, então não tente julgar minha capacidade crítica pela maneira como escrevo o verbo “poder” e “a ver”

    Acho incrível como mais ninguém aqui no blog pode simplesmente não gostar de algo sem ter que redigir um TCC assinado por um sociólogo para isso. Faz-me o favor né Rodrigo?

    Acho que o seu defeito, no fim das contas, é que você acha um defeito muito ruim ser raso, muitas vezes, enquanto ser raso pode ser uma qualidade, que te impede de ser, muitas vezes, chato.

  16. Bruno Dorneles
    março 25, 2010 às 01:16

    E sim! eu sei que tu vai escrever um texto enorme como comentário pela palavra “manga” que eu escrevi acima, sei que você vai fazer um estudo sobre a fruta, e sobre o consumo, e sua filosofia, mas saiba que a partir de agora, qualquer comentário feito neste texto não vai ser lido por mim. Cansei desse assunto, e saiba que agir como ditador é sempre tentar impor sua opinião sobre os outros, exatamente o que tu está fazendo aqui. Quer uma prova disso? você não vai aguentar que eu acabe com essa discução, tu vai comentar até eu parar de comentar, e ficar a tua opinião por último, para parecer que você “venceu” algo que não há o que vencer, é o velho jogo do cançaso, parabéns, como nas comunidades sobre deus no orkut, você acaba ganhando por ser o chato que mais persiste!

  17. rodrigonunesouza
    março 25, 2010 às 12:30

    Você não sabe nada sobre o que vou fazer. Escrevo que o gosto pelo seu comportamento é opção sua e se você pensa ou não sobre isso é problema seu. Enquanto que o gosto pelo programa que assiste igualmente, por isso citei o controle remoto e sua liberdade de mudar de canal quando quiser.
    Acontece que quando começa a se intrometer no comportamento alheio, dos portadores de necessidades especiais ou do sambista do piscinão de ramos, o caso é diferente, já que manifestas puro preconceito classista.
    Não estou traçando um TCC aqui, estou apenas avaliando uma opinião, senão eu colocaria uma longa lista de referencias pra você ler, que certamente você jamais leria, o que ajudariam tanto no seu português quando no seu desenvolvimento intelectual.
    Não se trata de vencer, nem de um jogo, são só opiniões sendo refletidas, eu nem tenho opinião nesse caso, só estou analisando a sua. E saiba que vou começar a ser chato com todo mundo. Com o da Marcela eu teci devidas críticas, mas ela reagiu de forma bem diferente da sua, e creio que ela não se arrependa disso.
    Repito, nada pessoal. Não me importo de ser chato ou de ser legal. Importo-me de ser ético ou hipócrita. Mas eu sei que você não se importa com isso…
    Não estou impondo opinião, já que espero sua contra argumentação. Já não estamos mais discutindo o Fantástico, mas sim questões éticas da comunicação.
    Goste ou não, fuja disso ou não.

    Não estou sendo um ditador, estou completamente aberto ao diálogo; Quem quer evitar ou fugir dele aqui não sou eu…

  18. rodrigonunesouza
    março 26, 2010 às 00:19

    Po, Nuno meu camarada, você acabou de participar da pegadinha do DEFEITO COLATERAL.Eu to interpretando um personagem.

    Na verdade TV aberta é tudo uma bosta e maior parte da fechada igualmente. Você está coberto de razão em todas suas críticas, eu só queria mesmo encher o saco.

    :)

  19. santosmarcela
    abril 4, 2010 às 21:56

    E hoje volta o Super Sincero \o/
    Atenderam aos seus pedidos, Bruno.

    =D

  1. março 28, 2010 às 01:13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: