Início > Defeito Colateral > Juventude pós-moderna.

Juventude pós-moderna.

Andei investigando uma das perguntas que mais me deixa encafifado. Afinal, o que faz das últimas décadas, que tenhamos juventudes tão apáticas e tão repugnantes.

Sim, defendo a afirmativa em dose dupla, a juventude é APÁTICA; Não possui qualquer iniciativa, seja fisica ou mental sobre a realidade.

E é REPUGNANTE, por motivos mais simples; É pedante, egoísta, suja, irracional, metida, burra e orgulhosa de ser burra.

Com base na apatia e na repugnancia da juventudo posso traçar uma possivel contraditoriedade. Como pode ser repugnante quem é apático ? Isso é, se não faz nada, como pode fazer coisas ruins ? Simples; A juventude tem uma obrigação humanitária e ao descumprir com tal determinação de continuidade progressista, acaba por arruinar não só o seu destino com o de toda a humanidade.

Imagine um homem quem tem como objetivo regar uma planta. Se ele é contaminado por apatia, naturalmente não regará a planta. Isso o tornará repugnante, já que matará a planta e não cumprirá o seu objetivo.

E qual é o objetivo que a humanidade legou a juventude, e que a juventude está apáticamente repugnando-nos? O de dar continuídade ao projeto humano de progredir.

Não podemos negar que de fato a humanidade esteja progredindo, isso é fato. Não podemos de negar da mesma forma que o mundo enfrente problemas mil. Isso indifere no que podemos afirmar. QUE OUTRAS JUVENTUDES ERAM MUITO MAIS ATIVAS QUE A NOSSA.

A infância pós-moderna por outro lado, e é justamento o que me dá otimismo pro destino humano neste planeta, parece demonstrar o oposto do que a juventude nos mostra; E eis um alarme contra ao mal que fazemos os humanos com nossas crianças, os transformamos precocemente em JOVENS FÚTEIS.

Imagine uma criança, pois atualmente com 8 anos já se dizem pré-adolescentes, isso é juventude precoce burra. Estamos de certa forma estuprando infâncias e retardando a formação do caráter humano.
Quando digo, estamos, fazemos, digo nós humanos de todas as idades; Nossas atividades sociais e econômicas, nossas relações de crenças e ideologias, nossa linguagem e sistema de signos.

Não me parece que esse texto seja pequeno, pelo tanto que o assunto requer de pensamentos. Falaremos do complexo humano sobre a sexualidade, sobretudo na cultura ocidental globalizada para explicar a origem da moléstia contra a infância prodigiosa e gerando assim a CAUSA da juventude ser APÁTICA E REPUGNANTE.

A origem da repressão sexual historicamente está ligada com a origem da PROPRIEDADE PRIVADA. Não que outros povos que não consistiam suas relações econômicas baseado nas posse de terras e propriedades materiais não reprimiam a sexualidade de seu povo, mas sim que a nossa tradição ocidental herdou o comportamento diretamente das primeiras civilizações escravistas.

Com a propriedade privada, o homem tinha de garantir que a herança continuaria sendo legada a sua prole. O tempo destrói nossa carne e nossos corpos, mas os nossos filhos, são de certa forma uma maneira de enganarmos o tempo, e permanecermos de certa forma, vivos em forma deles.

Com a propriedade privada, um homem tinha de ter a certeza de que seu filho seria o herdeiro da propriedade que passou a vida inteira juntando. Não pensem que sou contra a propriedade privada por tão severa análise, é apenas uma constatação de porque somos tão sexualmente complexados em nossa sociedade; Isto é, praticamente uma sociedade inteira dentro do armário com seus complexos sexuais.

Claude Levi-Strauss possui excelentes textos sobre o que falo, se alguém quiser investigar de maneira mais técnica a origem do escravismo e da cultura da propriedade privada.

De tal forma, é fácil garantir que uma mãe é mãe de seu filho, e não tão simples assim, garantir que o pai é pai, se a sua parceira dormir com mais de um macho, ao menos antes das modernas técnicas de reconhecimento de paternidade.

A monogamia passa a ser uma obrigatoriedade econômica. De certa forma, passa a ser a MONOGAMIA HETEROSSEXUAL o modelo único de legitimidade dessas culturas oriundas de tal descendencia econômica.
Qualquer relação sexual fora desses contextos passa a ser reprimida, seja pelas leis, pela religião local ou pela conduta moral do povo.

Com base nisso, podemos determinar o porque até hoje são tão polêmicos temas relacionados à sexualidade que se refiram à; Incesto, sexo grupal, bissexualismo, homossexualismo, zoofilia, e qualquer outro tipo de sacanagem.

Édipo Rei é uma obra grega que vai justamente apresentar pela primeira vez tal conflito, e JIM MORRINSON lembrou bem isso em sua célebre THE END; “-Father ? yes son, I want to kill you, Mother… I want to fuck you all night….”

Sófocles simplesmente criou uma situação mimética e catártica na qual o filho liberta a mãe e a si matando o pai. A relação incestuosa entra filho e mãe é tema central da psicanálise freudiana e o complexo de édipo simplesmente um de seus mais importantes estudos.

Imagino que o jovem leitor pense, mais o que tem a ver o complexo de édipo, as origens da escravidão, ou mesmo a psicanálise freudiana; É simples a mais pura apatia em relação a isso. A mais pura ignorância. Vivem à margem do conhecimento humano, e ignoram o que realmente são. Nenhum viciado se livra do vicio enquanto não reconhecer que é doente.
Nenhuma juventude conseguirá de tal forma, ser menos APÁTICA E REPUGNANTE, se não reconhecer o cenário que vem desenhado des de meados de 1970 até os dias atuais. Quando originou-se o que mencionei como estupro precoce da infância baseado no complexo de édipo.

A moda feminina no mundo pós-renascentistas passou a ser fortemente influênciada pelas prostitutas. As mulheres acabavam aderindo coisas como perucas, ou maquiagens que antes só as putas usavam, mas em outras gerações madames frequentariam as igrejas com tais vestimentas. Nos anos 70 atrizes pornográficas inventaram o tal corpo com peitões e veja só como todas as mulheres da sociedade atual na noite acabam mesmo se vestindo como putas se vestiam.
Não tenho preconceito com a roupa da mulher nem das putas, acho até agradável um comportamento mais liberal, mas isso é um fato. Não há nada de errado em toda mulher querer ser um pouco uma puta, isso é, em termos menos vulgares, a autorização de que uma mulher tenha o direito de assumir que gosta de sexo e que sente prazer em atrair homens com seu corpo e beleza, e isso não tem nada de errado ou antiético.
Acontece que a infancia é curiosa demais. Eu outro dia vi um garoto me perguntando a idade; Ai meu sonho era ter 25 anos, deve ser a melhor idade. E eu pensei, que merda ta acontecendo com essa criançada, e a resposta dele me disse tudo; Eu não sou Criança, sou pré-adolescente.

As crianças querem de tal forma envelhecer, sobretudo porque vendem uma imagem de felicidade na sociedade diretamente ligada à sexualidade. A felicidade é de certa forma algo vendido como um sonho sexual. Dinheiro, carros, poder, mulheres bonitas.

O homem moderno, como na tragédia grega, mata o seu pai, a humanidade, e engravida sua mãe a religião com um filho bastardo, que é a promiscuidade. Em palavras mais diretas; O homem ao se desamarrar do regime moral religioso autoritário acaba aderindo algo pior do que a liberdade; A LIBERTINAGEM.

A libertinagem biblicamente narrada chega ao seu auge em sodoma e gomorra, mas algum anjo do senhor vai querer ir destuir LAS VEGAS ?

O sonho de consumo das crianças é deixar de ser criança, é matar a fome de curiosidade comendo o fruto do bem e do mal, a tal maça proibida. Eu aconselharia as crianças a se masturbarem menos e não se impressionarem tanto com pornografia se é que por acaso isso é possivel.

Enfim, tudo é sexo e opressão, e entre essa batalha, criamos indivíduos hipócritas com falsos interesses. No fundo, parece que todo homem só quer comer alguem, por mais que faça qualquer coisa. Qualquer criança já é submetida ao medo de ser homossexual, isso é do vexame público. A criança, esquece o mundo de criatividade, e começa a entrar no sistema de autoafirmação através da satisfação egoísta.

Não educamos nossas crianças para o amor, educamos para o hedonismo e para o prazer.

Educar para o amor é algo possível, e muitas vezes é confundido com enfiar uma série de crendices desnecessárias e cientificamente ridículas na cabeça das pessoas, como fazem comumente as religiões, dizendo que educam e ensinam amor, quando na verdade doutrinam moralismo e etnocentrismo.

Educar para o amor é incentivar tal criatividade. É responder as perguntas de Porque ou o que é que tanto fazem as crianças e que tanto irritam os adultos. Quando viram crianças que se denominam pré-adolescentes já não querem mais perguntar POR VERGONHA DE SEREM INCONVENIENTES, e acabam aprendendo precocemente sozinhas de maneira não muito proveitosa pra formação do caráter coisas que a sociedade de maneira hipócrita prefere não comentar; DROGAS, SEXO, CRIMES, DIREITOS E DEVERES, MORTE E REALIDADE. —Ai a mulecada aprende isso em internet, tv a cabo e video game.

Os jovens acabam se isolando das outras gerações, subestimam as crianças pois as acham idiotas, subestimam os mais velhos que os entitulam de chatos ou caretas.
valorizam as celebridades da mídia jovens de sucesso na vida sexual.

Portanto, podemos concluir que a maneira como recebemos nossas crianças e jovens, num mundo de teoria moralista religiosa subconsciente mas que de uma prática promíscua irresponsávelmente guiada pela libertinagem do comércio corrupto.

A sociedade se tornou uma fábrica burra de jovens apáticos e acreditem, eles sequer são capazes de formular opinião alguma sobre isso.

Anúncios
  1. janeiro 7, 2010 às 08:10

    ótimo texto cara, falou tudo!

  2. rodrigonunesouza
    janeiro 7, 2010 às 17:27

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/01/100107_espanhacorpo.shtml

    Algumas medidas ja vem sendo tomadas internacionalmente.

  3. melina
    janeiro 7, 2010 às 18:29

    Enfim… tem-se a guerra da maioria de Apáticos e da minoria impotente. E não se sabe o que é pior!

    Corrigindo, não é possível uma Guerra de Apáticos. Apáticos não tem competência para a Guerra.

    E existem vários culpados, sobretudo a mídia, principal formadora de opinião e veículo de expressão que descobriu na exploração do corpo e na ditadura da beleza, um dardo para atingir o alvo ‘juventude’.

    O capitalismo grita exacerbado:

    ‘Viva a apologia à bissexualidade (sim, porque bissexualISMO denota doença. E nessa geração bissexualismo não é doença, mas tendência). Viva a crise de identidade sexual, provocada pela tentativa de inclusão de alguns aos que agora se tornam maioria’.

    E que não haja Guerra cultural ou ideólogica, já que apatia não é nem de longe ideologia, ou tentativa de adição intelectual, já que hoje predomina a incompetência e a inapetência cultural

  4. melina
    janeiro 7, 2010 às 18:29

    Ps.: Bom o texto… escreva mais! Isso inspira! ;)

  5. rodrigonunesouza
    janeiro 7, 2010 às 18:39

    Esse seu comentário me deixou levemente excitado; No bom sentido é claro.

    Vejamos, o problema em si não é a diversidade ou liberdade sexual mas em si, o como estamos crianco uma ditadura do sexo.

    A imbecilidade através de uma vida focada única e exclussivamente nas relações sexuais, sendo que na prática, todos são absolutamente incapazes de assumirem isso.

    A teoria psicanálitica de Lacan é bem clara em relação a isso.

    A sexualidade parece ditar os rumos da vida social e economica da sociedade global.

    Que façamos muito sexo sim, da maneira como quisermos cada qual, mas que não deixemos nossa vida ser unicamente focada nisso.

    Não existe mais infancia, porque o que se perdeu não foi a infancia, se perdeu na sociedade a inocência.
    Tudo é ostentação, ignorância e desamor.

    Educamos para o hedonismo e não para a fraternidade, meus caros irmãos.

  6. melina
    janeiro 7, 2010 às 18:48

    Sim, que se faça sexo por inspiração, diversão, que seja! Mas que não se perca o foco na vida ou que a vida perca o foco para isso!

    E caro, sexo por diversão também cansa.

    Sexo saudável é aquele que serve de alimento pra alma (sem querer ser piegas) TBM, não só para o desejo infundado e irracional.

    Sexo bom é o que é antes pensado, ou que no mínimo, surja da fusão de pensamentos (antes de tudo)!

    ;))

    Congrats

  7. rodrigonunesouza
    janeiro 7, 2010 às 18:56

    “Sexo verbal não faz meu estilo, palavras são erros e os erros são seus… não quero lembrar que erro também…”

    O que diabos significa essa letra? Nunca entendi por completo as letras do Renato, mas sempre as achei legais mesmo assim.

  8. melina
    janeiro 7, 2010 às 18:59

    talvez ele achasse sexo com palavras um tanto profano já que… ‘as pessoas não sabem o que dizem’ embora ele tbm errasse, em fazer sexo verbal e como todo ‘bom’ ser humano. rs

  9. melina
    janeiro 7, 2010 às 19:03

    talvez ele achasse sexo verbal um tanto profano, já que… ‘as pessoas não sabem o que dizem’. No entanto, ele também errava (fazia sexo verbal), e errava de naturalmente, como todo ‘bom’ ser humano.

    Talvez não fosse bom ‘lembrar’ disso se ele naturalmente deixou escapar essa frase em momento oportuno ou inoportuno.

  10. melina
    janeiro 7, 2010 às 19:05

    ‘na hora do ato’ foi redundância estúpida.

    pq não posso apagar meus erros nesse blog? pqp.

  11. rodrigonunesouza
    janeiro 7, 2010 às 19:07

    Os erros são seus melina, não quero lembrar que erro também.

    E a continuação da letra; “Um dia pretendo tentar descobrir, porque é mais forte quem sabe mentir, não quero lembrar, que eu minto também.”

  12. melina
    janeiro 7, 2010 às 19:12

    apesar de mentir, não se considera tão forte, mais alvo fácil pra quem mente melhor do que ele?
    complexo de inferioridade não tem limites nesse caso. rs

  13. rodrigonunesouza
    janeiro 7, 2010 às 19:45

    Exato… se um dia quiserem traduzir as letras do Renato eu te chamo pra fazer as legendas… PERFEITA leitura.

  14. NM
    janeiro 8, 2010 às 00:14

    ”Everyone’s looking for someone to blame. Society. Culture. Hollywood. Predators. Looking everywhere but the right place. Children are very simple, Mr. Jerusalem. Very easy devices to break, or assemble wrong. You want to know who did this to these kids? Only their parents. That’s the thing no one wants to hear. Every time you stop thinking about how you’re treating your kid, you make one of these. It really is as simple as that. It’s got nothing to do with the failure of the society or any of that. It’s got everything to do with the responsibility of making a human.”

  15. rodrigonunesouza
    janeiro 8, 2010 às 16:57

    Se não há responsabilidade não há culpa.

  16. rodrigonunesouza
    janeiro 9, 2010 às 15:53

    Pensando bem, a CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA garante direitos.

    Logo é responsabilidade do governo.

    Portanto senhores arrumamos um Culpado sem face.

    Acontece que de quem é a responsabilidade de formar um bom governo ? A sociedade, pois o governo tem culpa de fato, mas a sociedade é a causa de um governo culpado.

    A APATIA é o problema, assistimos comendo mandioca, a vaca ir pro brejo, comendo mandioca.

    Metáfora ridícula mas estética.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: