Início > Defeito Colateral > Veja a Veja, mas Veja bem.

Veja a Veja, mas Veja bem.

Se você é uma pessoa que só acredita vendo, veja essa; A revista Veja, é uma revista pra se ver, e não pra se ler.

Sim, existe muito texto ali além das fotos e ilustrações, mas o texto escríto é tão repetitivo nos mesmos enfadonhos assuntos, que já parece cartilha pra ensinar classe média a ser idiota com vontade de ser americano. Independente do que aconteça duranta a semana o que parece é que o veículo de comunicação repete os mesmos discursos, que embora com muitos realmente concorde, como no caso do MST, ou da ignorância poética do presidente Lula, mas acontece, que eu preciso de mais.

A coluna do Millôr é genial.— e é o único gesto aparentemente não careta da revista, porque acho que o próprio pessoal da revista não deve entender muito bem o que diz a coluna dele.

O resto, fica muito a desejar.O Roberto Pompeu de Toledo, antes ainda aparecia com boas colocações, e mesmo o temido Diogo não é de se jogar fora. L. Luft, eu realmente não tenho muito paciência pra esse papinho caretíssimo do misticismo astral.

A revista Veja é careta. Essa é minha principal conclusão. Careta não no sentido de não ser uma revista de hippies doidões drogados. Careta no sentido de conservadorismo, de protecionismo econômico(aos anunciantes)

A Veja é uma revista pra ser ver, e isso não foi explicado, pelo simples motivo, de você ter mais páginas de anúncio do que de texto.

E o pior, as matérias parecem se dividir em dois tipos, uma que é de propaganda de um produto ou serviço; Por exemplo, uma matéria escrita sobre JORGE BEN JOR, na qual o sujeito nominado Sérgio Martíns e supostamente um crítico sem critérios, acaba de dizer que a maior influencia da mpb na história é Jorge Bem, e ainda compara com CAETANO, MILTON E GIL… no quisito popularidade e influência de outras bandas. Bem, vai ver por isso que a MPB está com uma HARMONIA TÃO EMPOBRECIDA E RIDÍCULA, HARMONIA DE DOIS ACORDES EM DOIS CINCO. Amo Jorge Ben e seu som, mas em arte em em justiça sou muito rígido e sincero com meus principios e estou disposto a defende-los até que seja capaz de me convencer do contrário. A influência e popularidade de Jorge Ben, tal como originalidade e criatividade são de fato (Rídicula por sinal, só demonstra profunda ignorância e leiguice pra tratar a música brasileira de forma tão MASSIFICANTE)—É capitão pirata, tem gente que acha que agente é idiota mesmo, e chama na nossa cara pensando que não percebemos, mas tem espécie pior ainda, é essa espécie de que quer nos convencer a se tornar um idiota por livre opção e concordar com aquele bando de espécie de idiotice.

Em segundo tipo, que é o da cartilha que já falei, a mesma semana martelanda nas mesmas teclas;”o Lula não é bom com sintaxe” parece ser um lema, que não é difícil de decorar depois de 12 anos repetindo. Nunca na história desse país se viu uma relação tão BURRA entre GOVERNO E VEÍCULO SENSASIONALISTA DE MERCADO. O povo adorou, como de costume, e consumiu muito a revista, as idéiazinhas baratas que ela vende e os produtos mediócres que ela impõe como tendência ou moda, ou pelo menos tenta enfiar goela a baixo de uma classe média abaixo da média da tão baixa média das culturas de classe mediocre.
Ah sim, não estou falando de você nesse caso, estou falando de todos nós.
Somos responsáveis por aceitar esse tipo de comportamento, e desprezar comportamentos sinceros e comprometidos. Canso de ver gente com talento sendo desperdiçada sobretudo pela INVEJA de quem está no poder e não reconhece sua INSUFICIÊNCIA E INCAPACIDADE de ter de admitir que existe outro com mais talento para o fato. E isso está em todas as áreas. É uma praga que assola os trópicos.

Não sou petista, nem socialista,nem gosto do Lula; Mas chega a parecer pirraça infantil, parecia uma que eu tinha com uma professora de biologia que era crente, e dizia que Darwin é uma besteira. Não adianta ficar querendo agredir por qualquer movimento. Independente do que o Lula faça, ele parecerá um bicho sendo caçado, uma Anta.

Eis a contradição. A revista se diz democrática e liberal. A prática que percebo é de uma revista ditatorial(basta ver os dogmas que seguem tão rigidamente os que ali escrevem, seja de forma ou de conteúdo), Protecionista no sentido de dar escudo pra seus anunciantes, e conservadora ao extremo, ao ponto de beirar o preconceito ao demonstrar um sentimento de superioridade perante as OUTRAS CLASSES, que fingem que não existem outras classes, pois isso é só um discurso ultrapassado da esquerda. Concordo que o discurso da esquerda é ultrapassado, mas não consigo concordar que as classes oprimidas não existam, nem que são tratadas como inferiores, burras, medíocres.
Defendem supostamente a democrácia, mas condenam a decisão democrática. Culpam a burrice do povo, a ignorancia, a falta de interesse politico. O que naturalmente é consequencia natural do comportamento que demonstra a revista. A maneira pitoresca e quase épica que querem tratar da política, a maneira quase literária com a qual tratam milhares de supostos escândalos e muitos mesmo inventados, embora muitos verdadeiros em sua imensa maioria, mas o que há de errado que veem tanta corrupção no estado e não veem nos outros segmentos da sociedade.
Parece que eles não percebem que entre seus acionistas existe corrupção, parece que fingem não ver que seus repórteres praticam muitas vezes a falta de honestidade intelectual reduzindo suas opiniões preconceituosas a um amontoado de falácias e silogismos baratos.

Mas devem notar, pra que eu tenha acordado num sábado de manhã muito puto e fazer um texto desses, é que alguma coisa realmente me tirou do sério.

Uma foto de OSCAR NIEMAYER e de seu rosto fumando, na qual dizia a legenda, que ele não tinha desistido ainda nem de fumar nem de ser COMUNISTA. —Não preciso nem responder porque fiquei indignado. Eu respeito a cultura desse país e os homens que compuseram essa cultura. Uma revista que ofende, difama, e perverte e conturba o real pensamento de pessoas, como CAETANO VELOSO, GILBERTO GIL, CHICO BUARQUE, OSCAR NIEMAYER, VINICIUS DE MORAES, FERREIRA GOULART e companhia… rotulados de COMUNISTAS, de atrasados; Revista Veja, eu tenho a mente muito aberta, mas não pra esvaziá-la de CULTURA DE VANGUARDA REFERÊNCIA INTERNACIONAL para peencher com ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS que basicamente é o que se tem na revista.
É uma revista pra ser folheada em sala de espera, no qual convença que o que está lendo com pressa, sem atenção queira consumir algumaa daquelas porcarias de produtos ou serviços que ali oferecem. Deveriam criticar o transporte automotivo, o combustível do petróleo, ou mesmo as empresas americanas que praticam monopólio de mercado (Coca-cola o maior exemplo), mas os anunciantes nessa revista são DEUSES. Ah sim, falei que a veja era dogmática, mas não que era POLITEÍSTA.

Para aprofundar o assunto, peguem alguem que comprou a briga com unhas e dentes… eu encerro minha participação nesse circo aqui.
“O maior fenômeno de anti-jornalismo dos últimos anos foi o que ocorreu com a revista Veja. Gradativamente, o maior semanário brasileiro foi se transformando em um pasquim sem compromisso com o jornalismo, recorrendo a ataques desqualificadores contra quem atravessasse seu caminho, envolvendo-se em guerras comerciais e aceitando que suas páginas e sites abrigassem matérias e colunas do mais puro esgoto jornalístico.”—Luis Nassif, http://luis.nassif.googlepages.com/home

Ah sim, sou assinante e leitor da Veja, e sintetizando minha crítica, eu quero uma revista que se preocupe mais comigo cliente leitor, do que com o cliente anunciante seu, que por sinal eu sou cliente também deles, isso se me convencerem e sinceramente, só me convencem a ter mais nojo dessa vontade de ser americano que querem vender pro nosso povo.

Não sou esquerdista, não sou comunista, não gosto do PT.

O que não quer dizer que eu seja um babaca obrigado a aceitar uma humilhação semanal à cultura brasileira em doses curtas de mau gosto.

Revista VEJA, esse post não é de humor. É bom que fique bem explicado isso.

Nada contra os anunciantes publicitários também, mas tudo tem limite… compre logo um catálogo de compras, com pequenas notas informativas da doutrina ideológica que quiser, seja de esquerda, de religião ou de nazismo.

Cada absurdo que eu escrevo, concordo. Preferia não ter de escrever, mas não compro alguns comportantos que me obrigam.

Anúncios
  1. santosmarcela
    março 25, 2010 às 22:48

    Eu já fiz o teste… Para cada 5 vezes que abro a revista aleatoriamente, umas 3 vezes cai em publicidade.

    Eu não poderia fazer qualquer avaliação do comprometimento da Veja. Agora, vou ler mais atentamente. Mas, já havia percebido – de longe – o grande prazer que se tem em criticar o Lula na revista.

    Ah… Eu gosto da Lya Luft =D

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: