Início > Literatura Colateral > Metafísicas e ontologias à parte.

Metafísicas e ontologias à parte.

Metafísicas e ontologias à parte——- A
o mundo precisa de arte, ——– A
e a vida demanda poesia,—— B
A poesia carece de metro —- C
tal como o espectro de prova, —-D
é científica a bossa nova ? —D
É consciente o retrocesso ?— C
Morriamos de tédio, morro de enfarte.—A

Tongas e mirongas à la carte;——A
Chatuba de mesquita e marte—-A
Fast food crú e quente causa azia—-B
Cu de crente fiscaliza o imetro ? —- C
É artística a bossa nova ? —- D
É estatística os palmos da cova?—–D
é involuntário o regresso ? —– C
Mas difícil não imaginar-te. —A

Semânticas e contextos ao mirar-te. —A
carecemos de cuidar de nossas partes,—-A
e o que há não é o que havia, —-B
A marginália carece de FEDRO —-C
tal como efeito que aparece na supernova —D
Tal como a marca de uma calça nova— D
Tal como desaforados e despeitos, incorretos. —- C
Não sou o predicado, sou o sujeito. —- A.

Metafísicas e ontologias à parte
o mundo precisa de arte,
Morriamos de tédio, morro de enfarte
Tongas e mirongas à la carte
Chatuba de mesquita e marte
Mas difícil não imaginar-te.
Semânticas e contextos expostos,
carecemos de cuidar de nossos postos
Não sou o predicado, sou o sujeito.

Anúncios
  1. kevin
    dezembro 5, 2009 às 20:12

    Cu de crente fiscaliza o imetro ?

    ri muito :D

  2. rodrigonunesouza
    dezembro 5, 2009 às 21:19

    sim… isso é uma metáfora, tipo, quem vai garantir que o moralimo sexual não é só o discurso?

  3. kevin
    dezembro 6, 2009 às 09:52

    continuo rindo muito :D afjeoijawiofejwaoifjoia

  4. Ideologista
    dezembro 12, 2009 às 01:18

    Ronaldo.

    Poeta de uma Palavra só.

    Com Zina no Pânico na TV.

    Fiu Fiu…!

    Ufa, Zina é um amigão de todos nós. Mesmo quando surgem opositores como a polícia, pq ele é “viciado” e quando pêgo o quilme foi filmado na tela da nossa residência.

    Aff, Zina é comédia.

    Lula é tipo Zina mano da Fiel.

    Aff.

    Mulheres de Athenas é que se paga o povo brasileiro!

    Prá Ká Bá mano

    Ser do povinho que é de helenas daqueles cornonéis.

    O povo se planta na cana. Se dá na cama. Se inflama, se põe em cana. Se engana.

    É mal ser cego em terra da vista do rei, menos que em vista do plebeu em terra de cego.

    Ahn? É dureza. Que pese a cruz nas minhas costas!

    Pq nem sinto a determinação de meu destino. Já que é princípio inato. ‘Só vou’ ou mesmo é o seguinte, que eu só fluo.. Isto é o meu deserto, isto é o meu normal, quando mergulho no mar infinito.

    Post bem-composto, meu parabéns pessoais direto daqui.;

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: