Início > Velho Resmungão > O fim do pirocóptero, da turma da mônica … enfim, o fim da infância.

O fim do pirocóptero, da turma da mônica … enfim, o fim da infância.

Acho que eu não poderia ter chegado a conclusão mais infeliz de toda minha vida. Pesquisei em alguns lugares, coletei algumas ideias e está aqui meus caros leitores: a infância esta se decompondo, putrefada sob toneladas de material impróprio para pessoas pequeninas que nem sabem o que a maioria das coisas significa. Mas isso é o que então? um texto moralista? Vão tomar no cu de vocês, é apenas um texto que tem o intuito de te fazer pensar: bom! ao menos eu fui um dos últimos.

A infância foi o momento mais marcante de minha vida, só que eu afirmar isso tendo 19 anos é idiotice, já que, para eu poder afirmar que é a melhor fase de toda a vida, eu precisaria ter vivido todas as fases. Então eu levei em consideração que a maioria das pessoas sentem saudade de sua infância e cheguei a conclusão que realmente a infância deve ser algo MUITO bom. Nada melhor do que estudar e ter o resto do dia todo para fazer o que você quiser, desde assistir Chaves até brincar de esconde-esconde ou buraco. E o pior é que toda essa fase mágica de nossas vidas está acabando ou nem existindo para muitas crianças. Mas comecemos pelo início.

Durante toda história de todos os povos, as crianças nunca tiveram um mundo delas, como nós tivemos. Sempre partilharam de quase todas responsabilidades que um adulto tinha. Como na Grécia, onde os pais mais ricos mandavam seus filhos terem aula com filósofos, mas não pensavam duas vezes antes de entregar-lhes um belo kit que vinha com um escudo e uma espada. Na idade média, fugindo de pragas e doenças que matavam gente as pencas, as crianças eram adultos que ainda tinham uma vida inteira pela frente (seis ou sete anos). Foi só na revolução industrial, quando já existiam governos e toda aquela charlatanice de constituição e direitos humanos, que o governo percebeu ser “meio desumano” colocar crianças para operar máquinas junto de seus pais, construindo assim os direitos e deveres das crianças. Na verdade o grande acontecimento que os historiadores apontam como sendo a descoberta da infância é o surgimento da imprensa e o surgimento das escolas, mas já que as escolas começaram a se tornar públicas e de acesso amplo a partir da revolução industrial, é cabível dizer que a infância começou quando as crianças precisaram ficar em algum lugar enquanto seus pais perdiam alguns dedos trabalhando em umas máquinas loucas. Mas por que o surgimento da imprensa? Eu também fiquei pensando mas é bem óbvio: foi com o surgimento da imprensa que as pessoas alfabetizadas se distanciaram das analfabetizadas, o que incluía as crianças, e então dois mundos que já existiam em teoria, começaram a existir na prática: o mundo dos adultos, rodeados por notícias de revoluções e guerras e morte e governo, e o mundo das crianças, absurdamente mais divertido e menos informado.

O grande ápice da infância, na verdade, durou menos de um século, e assim como a mídia construiu a infância, ela mesma pisoteou e cuspiu na cara das pobres crianças. Chegaram então, na primeira metade do século passado, na sala de estar de várias famílias, a televisão. O que o jornal separou, a televisão juntou, e levou um conteúdo novo e abstrato para dentro da mente das crianças. O bicho pega mesmo a partir da década de oitenta quando programas com temática adulta chegam na mente das crianças que, mesmo sem entender, acham um máximo. Você quer um exemplo disso? Se você tem uma média etária de 22 anos, você também cantava Mamonas Assassinas sem entender direito o que diabos era o saco que tinha um sabão que não deixava os cabelos enrolarem, ficarem de pé, caírem, darem nó ou enrolar com os do cu. Sério, eu imaginava, SEMPRE imaginei, um saco de batatas, não sei por que, mas eu imaginava.

Querem saber? Hoje em dia abuso de trabalho infantil até bonito é. O que diferencia a Maísa de um chinesinho que prega sapatos em uma linha de montagem? Ambos são menores de idade e supostamente protegidos por um código de bem-estar infantil, mas em ambos casos isso não acontece, hora por que tem pais que querem ganhar dinheiro em cima deles (Maísa), hora tem que trabalhar para comer (menino chinesinho pregador de sapatos numa linha de montagem). A diferença entre os dois mesmo é o salário que ganham … assim chegamos a incrível dedução de: criança + oportunidade de ganhar dinheiro = abdicação das leis sobre trabalho infantil. Eu não sei se vocês lembram, mas o Silvio Santos (que, convenhamos, esta começando a apelar) fez a Maísa chorar duas vezes e fez ela bater com a cabeça em uma câmera EEEEEE não deixou ela sair do palco do programa, enquanto ela suplicava “Silvio, por favor, eu prometo que eu gravo dois programas amanhã mas deixa eu ir embora, eu tô com dor, tô cansada” … é de espinhar o coração ver aquela menininha falando aquilo, e a vagabunda tarada da mãe dela ainda fala para ela ficar ali por que ela tem que CUMPRIR UM CONTRATO. Puta que pariu, o que raios uma criança de cinco anos sabe sobre responsabilidade? Não digo nem O que ela sabe, digo QUAL a obrigação dela em saber? É horrível, é desumano atirar no colo de uma pessoa nem formada uma responsabilidade como essas por que, no final das contas, a fragilizada é ela, e não o Silvio Santos por dar 20 mil para ela por mês.

Temos também as mães gordas recalcadas que colocam suas filhas em concursos de beleza. Ninguém vê como isso destrói a infância? Isso coloca as crianças em um processo de amadurecimento precoce, onde elas não só tem a obrigação de entender coisas que elas não entendem, como fazem coisas que elas as vezes nem querem. Para mim, se um pedófilo chegar e dizer: “como não vou gostar de crianças se elas andam e agem como uma mulher adulta” … eu vou continuar achando ele um doente, mas um doente coerente. Esses concursos tem uma lógica básica que come o cu de qualquer auto-estima infantil: de 100 meninas participantes, quantas ganham? pela lógica apenas 1, e o que o fato de perder significa na cabeça das outras 99 meninas? Derrota = eu não sou bonita, ela é mais, eu sou uma vergonha para a minha mãe. Vocês defensores dessas idiotices podem me dizer que elas gostam e que vocês gostam de dar o cu, mas uma criança gosta do que é imposto a ela gostar, uma criança gosta do que as pessoas que as influenciam gostam … tornando esse tipo de  competição/torneio/concurso um tiro de doze bem no meio do sorriso dessas pobres criaturas.

          O que me deixa mais triste nesse lance todo de perda da infância, é a perda da inocência das crianças, que acabam se conformando cada vez mais cedo com coisas pelas quais elas ainda deviam sonhar conseguir. Já vi no rosto de várias crianças carentes, seja na TV, no jornal ou na rua, a mesma desistência que seus pais tem, elas tem no rosto o mesmo conformismo de que “estou destinado/a a morrer assim, aqui”. Perder a infância significa desumanizar cada vez mais a humanidade, que já anda BEM desumana. E desumana não no sentido de “é, vamos ajudar uns aos outros por que nós somos idiotas e ajudamos quem não merece”, mas no sentido de “quero mais é que tu te foda seus vileiros desgraçados, algum dia eu ainda ponho fogo no teu barraco seu pobre filhadaputa” …. eu, bem na verdade, não me preocupo muito nesse sentido, mas é preocupante.

          Para finalizar, uma histórinha (história, verdade, não estória, fictícia): Um dia eu fui pegar a minha sobrinha de 4 anos na escolinha dela, para chegar até a sala dela, precisei passar pelo parquinho, e já como ainda faltavam dez minutos para ela sair, fiquei aguardando observando as crianças brincarem. Fui surpreendido quando duas garotas brigavam por um garoto (ele, obviamente, com um sorriso enorme no rosto). Uma puxava para um lado, enquanto a outra puxava para o outro:

– Ele é MEU marido!

– NÃO, ele é MEU marido.

– Eu já disse que ele é MEU.

– MEU marido.

          Até que uma terceira menina, bem serelepe, com uma boneca nos braços, chegou de mansinho, com um rosto calmo, sereno:

– Calma meninas! não precisa brigar … assim ó: ele é teu marido (apontando para uma menina) e teu amante (apontando para a outra).

          E não é que ficaram as duas de mãos dadas com o garoto, sorrindo os três faceiros …

Anúncios
  1. kevin
    agosto 24, 2009 às 20:11

    essa porra é foda…

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: