Início > Que porra é essa? > Tragicomédia engarrafada

Tragicomédia engarrafada

 

Clima de happy hour, aquele pub descolado e o chopp gelado num ritmo “bem pegado”, o sujeito o local o seu palco depois da terceira dose. O rei do stand-up comedy é ele naquele momento indubitavelmente, muitos riem das palhaçadas que foram das 19 às 2 horas da matina de um sábado. Ele já está mais “chutado” que não se sabe o quê e resolve para casa por conta própria naquele Audi maravilhoso comprado com tanto esforço e invejado por metade do escritório em que trabalha. Na estrada a visão e movimentos estão alterados pelo alto teor de álcool no “esponjão”, fazendo com que ele “feche a cortina” previamente colidindo contra uma mureta a 500 da “casa de espetáculos”. Nem pôde se despedir do público devidamente…

 

Por isso foi implementada uma lei que pune severamente os motoristas alcoolizados e os estabelecimentos em vias rodoviárias que comercializem bebidas de tal tento entorpecente. A “lei seca”, assim denominada em homenagem a uma medida semelhante tomada no velho oeste estadunidense, teve seus efeitos e progride significantemente até os dias presentes.

 

Muitos já foram pegos com a “boca na botija” através de empreitadas policiais com bafômetros e os números de acidentes permanecem incógnitos quanto ao seu desenvolvimento ainda, mas espera-se a sua expressiva diminuição.

 

O povo tem de pensar duas vezes antes de “entrar na garrafa” para não acabar “saindo em um caixão.”

Anúncios
Categorias:Que porra é essa?
  1. Moi
    abril 22, 2009 às 20:37

    O que eu acho ridículo é precisar de leis para se falar o óbvio às pessoas, que não, ninguém dirige melhor bêbado e que o restante da sociedade não precisa pagar pra ver. Paciência… por outro lado, recentemente vi uma matéria falando no afrouxamento da fiscalização (algo também de se esperar) e no retorno gradual aos maus-hábitos. Um empresário no RJ teve uma idéia que pra mim, foi sensacional: por uma quantia muito módica você poderia pegar uma espécie de BALADATUR, um ônibus que fazia a rota quente por diversos bares, boates, casas de espetáculo etc. sem você ter a necessidade de guiar. O que aconteceu? O cara faliu, justamente porque a procura caiu proporcionalmente à queda da fiscalização. Que “ótimo”, não?

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: